\ A VOZ PORTALEGRENSE: Luís Filipe Meira

quarta-feira, março 19, 2014

Luís Filipe Meira

JAZZ para o Fim de Semana
*
O Portalegre JazzFest está de regresso depois de um ano de interregno, devido à crise, dirão uns, devido ao desinvestimento brutal na cultura, dirão outros.
Mas o que interessa é que amanhã 5ª feira pelas nove e meia da noite, o pianista Mário Laginha sobe ao palco do CAE acompanhado do contrabaixista Nelson Cascais e do baterista Alexandre Frazão. No final da atuação do Trio de Mário Laginha haverá a primeira apresentação de um projeto recém-criado, o CAEP Voices (Grupo Vocal do CAEP) que irá proporcionar a todo o auditório uma oportunidade para se deleitarem com vozes de todos os estilos e gerações.
Para os notívagos haverá um afterhours no espaço café-concerto com  a Clean Feed DJ Party, que tanto sucesso alcançou na anterior edição do festival.
Na 6ª Feira e para manter a tradição segue-se à proposta portuguesa de Mário Laginha, uma proposta europeia, este ano com os “Fire!”, grupo constituído por Mats Gustafsson (saxofones, Fender Rhodes, eletrónica), Andreas Werliin (baixo) e Johan Berthling (bateria e percussões) que nos propõem “uma alternativa ao entendimento da música improvisada enquanto prática ‘não-idiomática’, segundo o rótulo que lhe deu Derek Bailey”, como nos explicou Joaquim Ribeiro, o diretor artístico do festival.
No sábado e para fechar esta 11ª edição do Portalegre JazzFest iremos ter o quarteto Lean Left, que inclui Ken Vandermark, saxofonista e clarinetista norte-americano já conhecido do público português e dos portalegrenses, integrado noutros projetos. Desta feita, o músico norte-americano é acompanhado por Paal Nilsen-Love e pela dupla Terrie Ex e Andy Moor, do grupo holandês The Ex.
Projeto que em quarteto e seguindo ainda as explicações do diretor artístico do evento, “ representa o cruzamento de duas heranças musicais desviantes iniciadas nas décadas de 1960 e 70, a do ‘free jazz’ e a do ‘free rock’, na confluência de dois formatos estilísticos, jazz e rock, unidos pela máxima exploração do princípio da liberdade expressiva”.
Esta edição do Festival de Jazz de Portalegre inclui ainda oficinas musicais, uma feira do disco, especializada em jazz, a cargo da discográfica Clean Feed, e sessões de música no café-concerto do CAEP após os espetáculos no palco principal desta sala.
Os denominados “espetáculos ‘afterhours’” contam com Samuel James, em duas sessões, e, no dia da abertura, como atrás referimos, realiza-se a Clean Feed DJ Party,
De 20 a 22 de março, entre as 17:00 e as 19:00, também no café-concerto do CAEP, Samuel Janes orienta “oficinas de música” para guitarra, voz e harmónica.
Cá estaremos na próxima semana para fazer o balanço deste regresso do Portalegre JazzFest.

Free web page counter