\ A VOZ PORTALEGRENSE: Ensino da História em Portugal

sábado, setembro 13, 2008

Ensino da História em Portugal

EUA, o grande Satã
“Um unilateralismo violento substituiu o multilateralismo predominante até 1990, já que Washington passou a agir sem consultar os seus aliados, provocando cisões no bloco ocidental. (...) Numa atitude de prepotência, que demonstra a real superioridade dos Estados Unidos e o seu menosprezo pêlos outros países, a administração Bush negou-se a assinar os tratados que limitam a proliferação de armamento não convencional, revogou unilateralmente o tratado de limitação de mísseis antimíssil, recusou os acordos ambientais de Quioto e rejeitou o Tribunal Penal Internacional. (...) Os EUA possuem as armas mais poderosas da terra, um assustador arsenal de alta tecnologia que lhe oferece várias opções para aniquilar o inimigo. (...) Na verdade, os EUA manobram a economia mundial de acordo com os seus interesses." Caminhos da História, 12° ano, ASA, volume III
.
“Tropas americanas atacam populações iraquianas” (legenda de uma foto) Novo História 9, Texto Editores
COMENTÁRIO Primeiro uma gargalhada bem-disposta, depois o espanto: “Num manual escolar exige-se uma maior limpeza de todo esse tom claramente critico”, diz o historiador António Costa Pinto. E o problema não é só o tom. Miguel Monjardino aponta: “Não sei pura e simplesmente do que estão a falar quando referem que Bush não assinou os tratados que limitam a proliferação de armamento não convencional. É armamento nuclear? Bush assinou um tratado com Putin de limitação de armamento nuclear. Está em vigor...” E continua: “Quioto começou com Clinton e não com Bush. Quanto ao ‘assustador arsenal’, o da China, da Rússia e do Reino Unido também o são. E é verdade que os EUA manobram a economia mundial, mas criaram uma ordem económica mundial que beneficiou muitos outros países.”
P. 59, 11 SETEMBRO 2008 SÁBADO

Free web page counter