\ A VOZ PORTALEGRENSE: Convento de Santa Clara de Portalegre-IX

sexta-feira, janeiro 25, 2013

Convento de Santa Clara de Portalegre-IX

DOS MONUMENTOS ÀS PESSOAS - IX
 
O Distrito de Portalegre, N.º 5797, 10 de Setembro de 1982
 
SOROR ISABEL DO MENINO JESUS E O «ECCE HOMO» DO CONVENTO

Na continuação do último apontamento diremos que Soror Izabel do Menino Jesus, no livro da sua «Vida», se refere ainda, a páginas 93, n.º 71, ao «Senhor, Ecce Homo», «que está no Côro», nestes termos: «Este Senhor, me foi buscar duas vezes pessoalmente ao lugar onde eu estava tendo oração; o para que me buscou, se verá mais expressamente, onde fica escripta; e só agora digo, que amem muito esta Imagem, e a tenham em grande veneração».
Uma nova referência, a última que Soror Izabel do Menino Jesus fez à Imagem do «Senhor, Ecce Homo» vem na pág. 100 a 102, n.º 80.
Transcrevemo-la:
«Não ha dûvida, que os filhos são herdeiros de seus Pays; este filho legitimo de nosso Seraphico Padre: de que agora quero fazer mençaõ, tinha o Senhor tomado tanto á sua conta, que depositou nas suas maõs extraordinarios favores. Corrêraõ estes pelas minhas maõs, fazendo-me o Senhor participante de todas as mercês, que lhe enviava; communicando eu com o dito Religioso, se augmentava tudo, quanto podia no exercicio da santa Oraçaõ, e virtudes. Huma vez por acso, me desconsolei muito, parecendo-me, que havia no Religioso algum descuido, em naõ ir adiante no caminho da virtude; e com esta desconfiança, estava quasi resoluta a deixar a communicaçaõ espiritual, que tinha com o Padre. Sentio isto tanto o Senhor, a nosso modo de falar, que o obrigou a vir pessoalmente pedir-me o naõ deixasse: e foi o caso, que tendo eu levado a mayor parte da noite em oraçaõ, na madrugada tive huma elevaçaõ, onde vî huma Imagem do Senhor, Ecce Homo, que temos neste Convento, e vinha sua santissima Humanidade, como homem nû, todo coberto d sangue, e chagas, dando passos até chegar a mim. Tanto que chegou, cheguei eu a passos de morte; porque foi tanto o amor, com que o abracei, e as lagrimas, que chorei, que lançada a seus pés, e enlaçada em seus braços, pouco me faltou para morrer. Disse-me entaõ estas palavras: Filha a que venho aqui, he pedir-te me naõ deixes Fr. Fulano, dando-lhe estes alentos meus, e fazendo com elle pazes, e ficando a communicaçaõ, como d’antes: porque he filho de S. Francisco, e tenho destinado para meu grande servo».
Escrevemos sobre as Imagens às quais se faz referência na Vida de Soror Izabel do Menino Jesus.
De muitas outras Imagens se enchia o Convento – Capela, Côro, Claustro, Corredores e Dormitórios.
Seria curioso, e é possível, conferir as Imagens que constam do «depósito dos objectos do uso exclusivo do culto», existentes no Convento, em 1910, e os que, ultimamente, foram entregues à Câmara e à Igreja.
Em 1900 estão registados como existentes no Convento 77 Imagens, destas as mais conhecidas de Santa Clara, S. Francisco, S. José e a belíssima Imagem de Nossa Senhora das Dores, atribuída a Machado de Castro, o Menino Jesus «falador», o Senhor da Paciência e o Senhor «Ecce Homo», até aos belos crucifixos de marfim.
Quando isto dizemos não queremos pôr super-hipótese de terem sido desviados do Convento quaisquer Imagens enquanto o Convento esteve confiado à «Associação de Protecção e Amparo de Nossa Senhora das Dores», mas já não estamos igualmente seguros no que se refere ao período que envolve a data de 1910, até porque ainda nos nossos dias aparecem pessoas a restituírem Imagens levadas de Conventos e Igrejas nessa ocasião.
Padre Anacleto Martins
_______
.
.
.
.
.

Free web page counter