\ A VOZ PORTALEGRENSE: Luís Filipe Meira

domingo, julho 12, 2009

Luís Filipe Meira

Escreve Miguel, Escreve!
.
Miguel Sousa Tavares (MST), o enfant terrible das letras portuguesas, o criador de anti-corpos por excelência, o dono da verdade absoluta que – ele sim – nunca tem duvidas e raramente se engana, tem novo livro nas lojas.
Depois de Equador com 518 páginas e Rio das Flores com 612, No Teu Deserto, assim se chama, fica-se pelas 125.
Deixem-me dizer desde já que não tenho o mínimo de simpatia por MST como analista político (TVI), cronista de futebol (A Bola) e cronista todo o terreno (Expresso). Nestas vertentes o espírito truculento e arrogante possivelmente herdado do pai – o advogado e político Francisco Sousa Tavares – sobrepõe-se ao inegável talento e à indiscutível inteligência que possui. Nos livros demonstra uma sensibilidade por vezes tocante que certamente lhe vem da mãe – a brilhante Sophia de Mello Breyner Andresen – daí eu gostar bastante de ler o escritor MST e dispensar liminarmente o outro.
Acabei há pouco de ler No Teu Deserto, livro levemente autobiográfico onde o amor se confunde com a amizade, não se percebendo – julgo que propositadamente – onde acaba um e começa o outro. Não tem o fôlego nem cria dependência como o magnifico Equador, não tem a pujança narrativa de Rio das Flores, ainda assim até porque é curto, lê-se bem e depressa mas deixa poucas marcas. No que respeita aos méritos literários ou à falta deles, sou obrigado a abster-me pois falta-me competência para os analisar.
Parece-me no entanto que há uma ilação que se pode tirar desde já; a comunidade intelectual pode dormir descansada porque MST está aparentemente a perder gás, e ao que diz – entrevista à Visão –, está de partida para o Brasil onde o tratam melhor que aqui. Brasil, país onde não há invejas no meio literário e artístico, onde há imensa alegria e grande optimismo, em contraste com o que se passa por cá em Portugal.
Pois bem, que tenha uma boa viagem e vá mandando uns livritos para eu matar saudades do MST escritor, porque do outro – o de A Bola, da TVI e do Expresso – vou-me esquecer rapidamente…
Luís Filipe Meira

Free web page counter