\ A VOZ PORTALEGRENSE: Política Local

segunda-feira, setembro 01, 2008

Política Local

A propósito de um escrito de Ilídio Pinto Cardoso
.
O Estado do Distrito
.
> No comércio local do jornalismo, assistimos sistematicamente às intervenções político-partidárias do IPC. Questiono-me, com frequência, sobre quem será esta personagem que faz opinião no Distrito atacando e ofendendo gratuitamente pessoas que considero serias e honestas.
Por um artigo de opinião publicado há dias num jornal de Portalegre, percebi que se tratava de “laranja” apanhada do chão.
Informei-me um pouco mais acerca do que faz e do que vive e soube que tem recebido dinheiros do Governo Civil, das Águas do Norte Alentejano, da Unidade de Saúde Local do Norte Alentejano, de vários Municípios, possivelmente da Rádio e quem sabe se do Jornal.
Soube assim que se trata de um “mercenário” da política, que se paga principescamente em euros cor-de-rosa.
Há tempos tentou também sacar algum ao Município de Fronteira! Teve azar!
O estado do Distrito resulta em grande parte de personagens como o IPC e de quem lhes dá cobertura!
Para ter notícias no jornal é preciso pagar!
Para não ser ofendido pelo IPC, deveria ter pago!
Para que a rádio dê um tratamento igual, não basta pagar, é preciso ser socialista!
Quem não paga fica na mira do mercenário!
Tem a pouca vergonha de classificar os autarcas sociais-democratas como:
«Não têm coluna vertebral» (Vermes?)
«São comerciantes» (Vigaristas?)
«São pobres de espírito» (Alcoólicos?)
Fala desta forma de pessoas eleitas por outras pessoas que as consideram íntegras, honestas e capazes.
O IPC chama aos autarcas tudo aquilo que eu penso de um mercenário.
O Distrito não está neste estado por culpa dos pobres de espírito, mas sim por causa de tantos espertos que por aqui vivem à custa do pagode usando o expediente e a astúcia!
Ilídio Pinto Cardoso, os autarcas sociais-democratas não lhe pagam um cêntimo, mas todos têm um presente de trabalho em prol dos seus Municípios e do Distrito de Portalegre e um passado de que se orgulham.
Os autarcas sociais-democratas gostavam de conhecer o seu currículo profissional até chegar ao grande jornalista cor-de-rosa
Que fez antes?
Donde veio?
Porque veio?
Quais as sua credenciais?
Gostávamos de ter uma radiografia sua, para estudarmos a sua “coluna vertebral”!
Desta vez pagávamos, mas só para ver!
> Pedro Namorado Lancha
in, ALTO ALENTEJO - 30 Julho 2008 - p.10

Free web page counter