\ A VOZ PORTALEGRENSE: A Alemanha e a Turquia

terça-feira, março 21, 2017

A Alemanha e a Turquia

*
O MEDO DA HISTÓRIA

A ALEMANHA E A TURQUIA

Há Passado que não passa, Presente que não muda e Futuro que não é futuro.
Existe como que uma cortina a tapar o papel da Alemanha kaiserista na vitória dos Bolcheviques na Rússia. Como há em relação à “chegada” dos Turcos à Europa, também da responsabilidade da Alemanha de Guilherme II.
Aliás, permanecem muitas ‘cortinas’ na História da Alemanha. E há que as abrir.
Contudo, cingir-se-á apenas ao pertinente, pela actualidade, caso turco.
Em linhas gerais, a Alemanha durante a Primeira Guerra Mundial, com o fim de enfraquecer os Aliados, e principalmente a Inglaterra, fomenta a revolução dos Muçulmanos, e promove propaganda radical, incitando à morte de Cristãos.
A ligação da Alemanha ao Império Otomano começou na primeira metade do século XIX, com o projecto de uma ligação ferroviária entre Berlin e o Império, com a finalidade de se evitar o trajecto marítimo controlado pela Grã-Bretanha. Em 1898 o imperador alemão visita o Império Otomano, e são estreitas as relações políticas, económicas e militares.
Papel importante no aconselhamento do imperador foi o judeu conde Max von Oppenheim, que persuadiu o kaiser de que o Islão era a “arma secreta” da Alemanha, e que se os Muçulmanos da India e do Egipto se levantassem em armas contra os seus senhores coloniais, o Império Britânico perderia a guerra.
A construção da via-férrea começa em 1903, com engenheiros alemães e material alemão. Essa construção demorou largos anos, mas o objectivo permanecia intacto. Para os alemães, a sua viabilidade assentava na ideia da abertura da região ao comércio, ao mesmo tempo que transformaria todo o panorama estratégico, uma vez que seria mais rápido transportar tropas desde a Europa até ao Golfo Pérsico, do que por barco desde a Grã-Bretanha.
Nos inícios de 1914, o Império Otomano estava expectante. Temiam a Rússia, estavam ressentidos com a Inglaterra, não confiavam na França. Restava a Alemanha.
E a Alemanha promete a recuperação de territórios, a defesa de Constantinopla contra Meca, e o apoio a uma Jiade para libertar todos os Muçulmanos sob o domínio britânico.
Conhece-se o resultado desta coligação, derrotas da Alemanha, fim do Império Otomano.
Ficam por tratar as relações entre a Turquia e a Alemanha no período da Segunda Guerra Mundial.
Porém, as relações próximas entre a Alemanha e a Turquia permitiram criar uma outra Turquia em solo alemão. Com as consequências que se conhecem.
_______
Bibliografia: «La Yihad del Káiser», La Aventura de la Historia, Nº 221, pgs. 18-22

Free web page counter