\ A VOZ PORTALEGRENSE: Julho 2016

terça-feira, julho 26, 2016

Clube Desportivo Portalegrense

26 de Julho de 1925 - 26 de Julho de 2016
*
Clube Desportivo Portalegrense
91 Anos de História

26 de Julho de 1925 é a data da assinatura da Acta que formaliza o nascimento do Clube Desportivo Portalegrense. Passadas mais de nove décadas, o Desportivo, como é conhecido em Portalegre, mostra uma vontade enorme de continuar a sua História.
Ao longo da sua existência passou por diferentes fases. Foi Clube Desportivo Portalegrense, Grupo Desportivo Portalegrense, Clube Desportivo Portalegrense 1925, e hoje usa novamente a nomenclatura fundadora, mas sempre mantendo o azul nas camisolas, o branco dos calções e o encarnado das meias.
O Desportivo teve anos de glória, períodos de penumbra, momentos de conquistas e tempos de graves crises. Teve dirigentes que a ele dedicaram vidas, e outros que dele se aproveitaram. É assim a causa das coisas e a natureza humana.
O Desportivo foi sempre um clube ecléctico. Teve, entre outras modalidades, vólei, basquetebol, pesca desportiva, xadrez, futsal, ginástica, mas o futebol foi sempre a principal modalidade.
Em futebol conquista todos os títulos locais e distritais, e foi por duas vezes Campeão Nacional da III Divisão, nas épocas de 1975/76 e 1987/88. Contudo, é a década de cinquenta do século passado, aquela em que o Desportivo se tornou conhecido nos meios futebolísticos com campanhas notáveis na então II Divisão Nacional.
Mas a primeira época em que conquista o título distrital e participa no então Campeonato da II Liga, 5.º Grupo, Zona C, é a de 1934/35. Foi a primeira época de glória, conquistando vários títulos, como a Taça da Santa Casa da Misericórdia de Portalegre, de Campeão da Cidade de Portalegre, 1.ª Categoria, de Campeão Distrital de Portalegre, a Taça de Honra, o Campeonato Infantil, as Festas da Primavera, a Taça «Grémio Alentejano» e Festas da Primavera Infantil.
O primeiro jogo conhecido do Clube Desportivo Portalegrense é logo a 30 de Agosto de 1925, com as 2.ªs categorias do Alentejo Foot-Ball Club, cujo resultado se desconhece. O segundo jogo conhecido do, já, Grupo Desportivo Portalegrense, é no ano seguinte, a 20 de Junho, com o campeão distrital da época que entretanto findara, o Sport Club Estrela. Em disputa a «Taça António Bentes», e os “verdes” vencem os “azuis” por 5-1.
O primeiro troféu conquistado pelo Desportivo foi em Campo Maior em 12 de Setembro de 1926, no jogo disputado no Campo do Rocio contra o Victoria Foot-Ball Club, e na presença de cerca de quinhentos espectadores, o qual ganhou por 3-0.
Agora o Clube Desportivo Portalegrense enceta nova fase da sua História, ao voltar a ter equipa de futebol sénior e ir disputar o Campeonato Distrital da Associação de Futebol de Portalegre da próxima época 2016/2017
Dezenas, mesmo centenas de nomes se poderiam citar que são referência do Desportivo, como jogadores, dirigentes, sócios ou simples adeptos. Mas apenas se citará um, o actual Presidente da Direcção, Mário Frutuoso, que após a última crise tomou em mãos os destinos do Desportivo, que qual Fénix renasceu e voltou a conquistar títulos nos escalões jovens, ao mesmo tempo que mantém viva a sua Memória, podendo-se dizer, como nos tempos áureos e com toda a propriedade:
_ A Alma Azul está viva!
Mário Casa Nova Martins
*
*
in, Fonte Nova, 19-07-2016, pg. 8

quarta-feira, julho 20, 2016

Fernando Correia Pina

Poema a um sexagenário

Digam lá se não é caso de pasmar

Este passar do tempo que a morte mais cerca põe do receoso olhar fazendo-nos descrer da melhor sorte que os dias vindouros nos possam dar,


este tempo que no corpo alarga um corte como em árvore pronta para queimar, o meu braço, ao invés, tornou mais forte e isto não deixa de me espantar


porque antes, no vigor dos vinte anos, o membro ereto resistia aos abanos da mão que o tentava, em vão, vergar


e agora, quarenta anos mais à frente, eis que o dobro sem esforço, num repente e digam lá se não é caso de pasmar.

quarta-feira, julho 06, 2016

Fernando Correia Pina

Rossio vermelho e branco

final da taça da liga 2016

Na tasca da esquina prevenindo
qualquer sempre possível derrocada
uns quantos cavalheiros, à gargalhada,
especam o muro, minis consumindo.

No café logo ao lado, desfrutando
dos privilégios da terceira idade,
uns quantos lançam pragas à cidade,
as pernas das miúdas petiscando.

Navego até à loja dos chineses.
Travessia perigosa porque às vezes
a água dos repuxos nos salpica.

Entro apressado e não compro nada,
dou meia volta e fujo à parada
do ruidoso povo do Benfica.

Free web page counter