\ A VOZ PORTALEGRENSE: Abril 2013

quarta-feira, abril 24, 2013

Luís Filipe Meira

Custódio Castelo no CAEP
 
Uma Noite bem Passada
 
Custódio Castelo é um homem de múltiplos talentos, peculiaridades várias e currículo invejável. Castelo domina a guitarra portuguesa como poucos e movimenta-se em diversas vertentes; solista, acompanhante e professor, pois leciona o 1º Curso Superior de Guitarra Portuguesa na ESART de Castelo Branco.
Começou a tocar viola aos 13 anos e a fazer o habitual percurso de grupos de baile e bandas de garagem. Mas o som encantatório da guitarra portuguesa que ia ouvindo nos discos de Amália depressa lhe prendeu a atenção e seria por cima desses mesmos discos que aprenderia a tocá-la. Mas a evolução seria de tal forma rápida que acabaria, mesmo sem fazer o tirocínio pelas casas de fado, por acompanhar a própria Amália, mas também Fernando Maurício e Manuel de Almeida, sendo ainda requisitado por estrelas da nova geração como Ana Moura, Mariza, Mafalda Arnaulth ou Camané. Curiosamente, o que também é demonstrativo da sua versatilidade como músico, empresta regularmente a sua guitarra, ao vivo e em disco, a duas “não fadistas”, Cristina Branco e Mísia. Como solista percorre diversos caminhos e sonoridades várias. Tendo Lisboa como ponto de partida, avança à descoberta de músicas e sons do mundo. Castelo não é herdeiro de Paredes, nem de Chainho, nem de Fontes Rocha – que reconhece como influência - mas bebe nessas fontes que mistura com os sons da lusofonia para construir uma música de grande universalidade, o que o leva a ser solicitado para as quatro partidas do mundo para concertos a solo ou para parcerias com músicos de diversas áreas.
No ano passado Custódio Castelo gravou Inventus, disco que chegará a cerca de 80 países e em que o músico presta homenagem a Amália, Fontes Rocha, Cesária Évora e, nas suas palavras, é o espelho do percurso e aprendizagem que foi fazendo ao longo dos anos.
Ora foi esta interessante e rica personagem que subiu no último sábado, ao palco do CAEP para um concerto de média expetativa.  
Castelo entrou em palco ao som do contrabaixo e da viola, cumprimentou o público com um respeitoso boa noite, tendo como resposta o silêncio de uma sala meio cheia ou meio vazia. O músico não desarmou, repetiu o cumprimento e em troca recebeu um desconfortável e sumido “boa noite”. Sentou-se e em vez de arrancar para um tema forte para quebrar o gelo, solicitou o público para o acompanhar num pequeno coro. O degelo estava em marcha, a partir daí foi sempre em crescendo até aos dois grandes momentos finais; o primeiro com a participação de dois guitarristas de Portalegre, António Eustáquio e Ricardo Gordo e o segundo com a interpretação magnífica de “ O Encantador de Tristezas”, suite de três andamentos de enorme intensidade.
Castelo é para além de músico brilhante, um excelente comunicador como ficou provado ao longo deste concerto em que, como fez questão de referir por diversas vezes, a partilha dos momentos foi ativa e constante. Pena foi, como referiu António Eustáquio, que a cidade não se tivesse mobilizado para receber condignamente um grande intérprete de guitarra portuguesa. Foi pena não ter aparecido mais gente pois teriam tido uma noite bem passada…

sexta-feira, abril 19, 2013

Clube Desportivo Portalegrense

*
Desde quarta-feira dia 17 de abril de 2013
*

quinta-feira, abril 18, 2013

Desabafos


Todas as épocas históricas têm o Povo como protagonista. Mas, acima dele há sempre alguém que se destaca e que o lidera. Sempre assim foi no passado e sempre assim será no futuro. Porém os líderes de um determinado momento histórico podem ou não estar à altura dos acontecimentos a que assistem.
O último quartel do século XX teve à frente dos destinos dos principais países do Mundo líderes que definiram o futuro. Os EUA tiveram Ronald Reagan, o Estado do Vaticano João Paulo II, a Inglaterra Margaret Thatcher, a então URSS Mikhaïl Gorbatchov e a então República Federal Alemã Helmut Kohl.
Esta plêiada de Gente moldou o Mundo como hoje o conhecemos. Mas tal não quer dizer que o Mundo de hoje seja justamente aquele que aqueles líderes imaginaram. Muito pelo contrário, a realidade atual faz deles ‘gigantes’ quando comparados com os atuais lideres políticos, na verdade autênticos ‘anões’, no sentido pejorativo da palavra.
Estes parágrafos servem de introdução à Homenagem à Memória de Margaret Thatcher, que faleceu segunda-feira dia 8 de Abril deste ano de 2013.
Margaret Thatcher esteve à frente dos destinos da Inglaterra, sempre com uma tenacidade e sentido de Estado inexcedíveis.
Nunca esqueceu os aliados, a sua palavra era ouvida e respeitada.
Parte dos seus onze anos à frente dos destinos do seu país coincidiram com o atual presidente da república portuguesa como primeiro-ministro, o que prova quanta diferença existe entre um ‘anão’, o implicado no caso-BPN, e um ‘gigante’, Margaret Thatcher.
Os Povos têm geralmente os líderes que merecem, por isso hoje Portugal tem a gentalha que se conhece.
A Inglaterra de Thatcher ficará sempre na Memória daqueles que sentem o Serviço à Pátria como um Dever.
in, Rádio Portalegre, Desabafos, 16/04/2013

Mário Casa Nova Martins

quarta-feira, abril 17, 2013

Margaret Thatcher (1925-2013)

No dia e momento do seu Funeral, o meu Tributo à Memória de Margaret Thatcher.
Mário Casa Nova Martins

Luís Filipe Meira

Guitolão World Project no CAEP
*
Lugar ao Sul
*
Há alguns meses atrás no seguimento de uma conversa de ocasião, um amigo que tem alguns conhecimentos musicais e que toca viola razoavelmente, dizia-me que lhe parecia que o guitolão poderia vir a ser um instrumento falhado, pois apresentava diversas limitações, nomeadamente pouca flexibilidade.
Confesso que os argumentos me pareceram pouco ou nada convincentes, no entanto, apesar da minha paixão platónica pela música, a minha formação musical é nula, logo a hipótese do contraditório ou de contra argumentação consistente tornou-se tarefa impossível e fiquei-me por mudar o rumo da conversa.
Como não fiquei convencido, umas semanas depois em conversa com um outro amigo – este músico profissional – levantei a questão das limitações do guitolão como instrumento musical.
Aqui a análise já foi substancialmente diferente; disse-me esse outro amigo, que era demasiado cedo para analisar a capacidade de um instrumento tão jovem, do qual existem meia dúzia de exemplares, que tem apenas sete anos de vida e um diminuto número de executantes a explorarem-lhe as sonoridades.
Afinal o cavaquinho ou ukelele tem mais de um século de existência e as origens da guitarra portuguesa remontam à Idade Média. Assim e com estas variáveis será sempre prematuro ajuizar para já as capacidades do guitolão.
O guitolão é um instrumento de cordas baseado na guitarra portuguesa, nascido a partir de uma proposta de Carlos Paredes ao construtor Gilberto Grácio, que devido à morte de Mestre Paredes decidiu entregá-lo a António Eustáquio para o trabalhar e desenvolver à medida do seu talento
O guitolão foi apresentado em 2005 e desde aí António Eustáquio tem vindo a utiliza-lo em diversas vertentes.
Começou com o Quarteto Ibero-Americano com o qual gravou um primeiro cd com um repertório clássico com transcrições de música erudita, tendo depois trabalhado com o contrabaixista Carlos Barretto em registo livre, onde a improvisação andava ao sabor do talento dos dois músicos que iam construindo, paulatinamente, uma música empolgante sem espartilhos e de enorme riqueza criativa.
Este Guitolão World Project é um projeto recente de quatro músicos de Portalegre – António Eustáquio, Miguel Monteiro, Vítor Miranda e Samuel Lupi – que procuram sonoridades mediterrânicas, coloridas, festivas e quentes construídas à volta do guitolão de António Eustáquio com o saxofone soprano de Miguel Monteiro como braço direito e cuja conciliação de sons se apresenta escudada na batida do cájon de Samuel Lupi e no enchimento rítmico do contrabaixo de Vítor Miranda.
Se o projeto dá ainda os primeiros passos, os músicos já têm muitos e bons anos de eclética experiência. Sendo que, para além do talento e experiência, todos eles apresentam na sua personalidade musical um pequeno mas importante pormenor: têm bom gosto, o que faz toda a diferença. Assim posso dizê-lo, sem medo de errar, que este Guitolão World Project tem tudo para dar certo. Haja tempo, oportunidade e vontade para estes músicos percorrerem um caminho que em Portugal está mais ou menos desbravado mas que tem imenso trafego, leia-se concorrência.
O concerto do CAEP confirmou isso mesmo, a matéria-prima existe e o potencial é enorme, o resto virá com tempo, trabalho e marketing. O verão está à porta, os festivais e os concertos multiplicam-se e se é verdade que talvez seja um pouco cedo para um FMM Sines ou um Med Loulé, haverá outros certamente. Para além do mercado espanhol, que está ali ao virar da esquina, ter uma enorme apetência para este tipo de música.
*

terça-feira, abril 16, 2013

Caderneta de Cromos - Clube Desportivo Portalegrenase

*
A cerimónia de lançamento da colecção de cromos das equipas do Clube, está agendada para quarta-feira dia 17 de Abril pelas 17:30 nas instalações da FORD de A. MATOSCAR em Portalegre, (antigas instalações da FIAT - Domingos e Companhia Lda.), com a presença da Direcção do Clube, da empresa Sportflash e da comunicação social desta Cidade.
O Clube convida todos os atletas e seus familiares, assim como todos os associados e simpatizantes para a citada cerimónia, e agradece desde já a vossa participação, e se possível a presença de todos os atletas equipados com o seu respectivo fato de treino.
A Alma Azul está Viva!
[A Direcção do Clube Desportivo Portalegrense]

domingo, abril 14, 2013

Clube Desportivo Portalegre, Campeão

Para Memória Futura. Os Campeões!
*
CLUBE DESPORTIVO PORTALEGRENSE
*
CAMPEÃO DISTRITAL DE JUNIORES 2012-2013
*
A duas jornadas do fim do campeonato, o CDP sagrou-se hoje Campeão Distrital.
A Alma Azul está viva!


Mário Casa Nova Martins

sábado, abril 13, 2013

Clube Desportivo Portalegrense, Campeão!

CLUBE DESPORTIVO PORTALEGRENSE
*
CAMPEÃO DISTRITAL DE JUNIORES 2012-2013
*
A duas jornadas do fim do campeonato, o CDP sagrou-se hoje Campeão Distrital.
A Alma Azul está viva!
Mário Casa Nova Martins

quarta-feira, abril 10, 2013

Luís Liberato e Rita Liberato

*
*
*

segunda-feira, abril 08, 2013

Margaret Thatcher

Margaret Hilda Thatcher
(Grantham, Reino Unido, 13 de outubro de 1925 - Londres, 8 de abril de 2013)
*
A minha Homenagem a uma Grande Senhora.
Mário Casa Nova Martins

Feira do Livro - Lisboa - 2013

A APEL, como entidade organizadora da 83.ª edição da Feira do Livro de Lisboa informa que a mesma decorrerá, tal como nos anos anteriores, no Parque Eduardo VII, de 23 de maio a 10 de junho de 2013, uma data que marca o retorno à tradição.

quinta-feira, abril 04, 2013

Desabafos

E Chipre aqui tão perto! Sim, Portugal não está a conseguir controlar o défice do Estado. Nada indica, bem pelo contrário, que mais medidas de austeridade não venham a ser implementadas, quer pelo atual Governo liderado pelo PSD e pelo independente Vítor Louçã Gaspar, quer por um futuro Governo liderado pelo PS.
A crise na União Europeia, e principalmente na Zona Euro, está não para durar, mas sim para ficar. A forma de Estado que hoje vigora na União Europeia está condenada. Os Países do sul da Europa, Chipre, Espanha, Grécia, Itália e Portugal estão há muito em falência técnica. E a França para lá caminha.
Como diz o ditado popular, por esta situação, «a culpa vai morrer solteira». E a mais do que justa indignação dos portugueses está a ser instrumentalizada por forças políticas extremistas, que não apresentam a mais pequena solução, apenas fortes doses de demagogia.
Por muito que se diga, há a possibilidade de em Portugal se taxar depósitos para gerar receitas para o Estado. Os portugueses têm que se preparar para esta medida. A apreensão de hoje, a desconfiança que já existe, é legítima. O colapso da Zona Euro se em tempos era uma miragem, agora é cada vez mais possível.
Também a confiança na banca, se já era pouca, agora ainda é, se possível, menor. A qualquer momento, os portugueses podem ver desaparecer parte de uma vida de poupanças. Esta injustiça é na verdade um roubo, um roubo feito pelo Estado por culpa dos políticos que têm delapidado esse mesmo Estado. Esta Terceira República cada vez mais se assemelha com a Primeira.
O direito à indignação é hoje uma arma!
in, Rádio Portalegre, Desabafos, 02/04/2013
Mário Casa Nova Martins

quarta-feira, abril 03, 2013

Edgar P. Jacobs - Filmes


De l'écran à la bulle L'IMAGINAIRE D'EDGAR P. JACOBS (Blake et Mortimer)
C'est un livret de 16 pages format 15,5X15,5 présentant un cycle de projection de films qui ont inspiré Edgar P. Jacobs dans ses créations, Blake et Mortimer et Le Rayon U.
Les films étaient «Le Cabinet du docteur Caligari», «King Kong», «Le troisième homme», «L'opéra de quat'sous», «L'homme qui rit», «Les hommes le dimanche», «Le dernier des hommes», «La rue sans joie», «Le monde perdu».

segunda-feira, abril 01, 2013

É hoje!

É hoje, dia 1 de Abril. A confirmação foi dada pelo Senhor Oliveira da Figueira, que, inclusíve, já enviou aos noivos um telegrama de felicitações.
Mário Casa Nova Martins

Free web page counter