\ A VOZ PORTALEGRENSE: Agosto 2012

quarta-feira, agosto 15, 2012

Boas Férias!

As Melhores Férias!
Mário Casa Nova Martins

terça-feira, agosto 14, 2012

Menina do Lenço Verde



Menina do lenço verde
Aos cabelos amarrado
Por cima da franja, ao lado.

No passeio pelo campo
Lindo sorriso franco
Quadro pastoril acabado.

Mãos que são encanto
Formoso aquele olhar
Doce colo, para beijar!
Mário Casa Nova Martins

segunda-feira, agosto 13, 2012

Fernando Correia Pina

*
Fernando Correia Pina foi entrevistado no semanário Fonte Nova pela jornalista Manuela Lã Branca.
A entrevista encontra-se nas páginas 11 e 13, sendo a sua leitura cativante, ou não fosse Fernando Pina um exímio contador de histórias, e estórias.
Poeta laureado, Historiador consagrado, que fique registado a profunda Amizade que temos ao Homem de Cultura e Saber que é o Fernando.
Ler e meditar no que nos é dito na entrevista. É que não há hoje em Portalegre muita Gente d’Algo como este Ilustre Entrevistado!
Mário Casa Nova Martins

domingo, agosto 12, 2012

Citizen Kane

sábado, agosto 11, 2012

Vertigo

sexta-feira, agosto 10, 2012

"Vertigo" o melhor filme de sempre

Segundo a revista do British Film Institute, “Vertigo, A Mulher que Viveu Duas Vezes”, realizado por Alfred Hitchcock em 1958, é o melhor filme de todos os tempos.
A escolha foi feita por um júri composto por personalidades ligadas ao cinema.
Por outro lado, também “Citizen Kane. O Mundo a Seus Pés”, de 1941 e realizado por Orson Welles, já fora considerado como o melhor filme de sempre.
Subjetividade de critérios e outras, não permitem dizer que o filme X é ‘o melhor filme de sempre’. Nós diríamos que no caso presente ambos são dos melhores filmes da História do Cinema.
Mário Casa Nova Martins

quinta-feira, agosto 09, 2012

Nagasaki, 67 anos depois

‎9 de agosto de 1945
Nagasaki, cidade mártir da bomba atómica.
Há 67 anos.
Mário Casa Nova Martins

Leni - A Vida e Obra de Leni Riefenstahl

À Venda em:
http://www.fnac.pt/Leni-A-Vida-e-Obra-de-Leni-Riefenstahl-Steven-Bach/a213423?PID=5&Mn=-1&Mu=-13&Ra=-1&To=0&Nu=2&Fr=0
*******
Uma leitura indispensável para quem gosta de fotografia e cinema. E para quem sabe separar o essencial do acessório.
Mário Casa Nova Martins

quarta-feira, agosto 08, 2012

Menina

A tua prostração
Não consigo perceber
Menos compreender.
És tão linda, Menina!

Olho para ti e não sei
Que dizer ou fazer
Para que pares de sofrer.
Menina, como és bela!

Teu corpo perfeito
Fonte de desejo.
Pedir-te um beijo
Sonho, por uma vez!
Mário Casa Nova Martins

terça-feira, agosto 07, 2012

A Loucura de Churchill


«Um dos problemas, ao olharmos para uma personagem tão notável como Winston Churchill, é que vemos tudo através do prisma do seu período heroico, quando foi primeiro-munistro entre 1940 e 1945; esquecemo-nos facilmente que, durante grande parte da sua vida, Churchill era visto como um génio inconstante, brilhante, sem dúvida, mas totalmente desprovido de bom senso.»
Christopher Catherwood, página 38, linhas 9 a 14
À venda em:
http://www.fnac.pt/A-Loucura-de-Churchill-Christopher-Catherwood/a297156?PID=5&Mn=-1&Mu=-13&Ra=-1&To=0&Nu=1&Fr=0
*******
Um livro que não perdeu actualidade. Um bom companheiro para este mês de agosto!
Mário Casa Nova Martins

segunda-feira, agosto 06, 2012

Hiroshima, 67 anos depois

6 de agosto de 1945, um dia e uma data a jamais esquecer!
Com o Japão já derrotado, os EUA lançam neste dia a primeira de duas bombas nucleares.
Só há Crimes contra a Humanidade perpetrados pelos vencidos.
Ai dos Vencidos!
Mário Casa Nova Martins

Pintura de Mariazinha Nunes

domingo, agosto 05, 2012

La Aventura de la Historia

Agosto de 2012

sábado, agosto 04, 2012

Orquestra

Ao som da música, danço
Fecho os olhos, sonho
Num forte desejo
Abraço-te contra mim
E sinto o calor do teu corpo
Num prazer sem fim!

Mário Casa Nova Martins

sexta-feira, agosto 03, 2012

Tal pai, tal filha...

Expresso, 28/07012
*
TAL PAI, TAL FILHA…
*
Muita gente, e Gente que respeito, ficou incomodada com o facto da Extrema-Esquerda, PCP e BE, não ter votado ao lado de CDS, PSD e PS, o voto de pesar pela morte de José Hermano Saraiva.
Com toda a franqueza, não fiquei. BE e PCP foram consequentes.
Inconsequente foi a Direita parlamentar ter-se associado ao politicamente correto que foi a romagem à sede do PCP quando do velório de Álvaro Barreirinhas Cunhal. Neste ato não houve hipocrisia política, mas sim uma vergonhosa submissão à memória de quem lutou pela eliminação física da Direita portuguesa.
Como é estúpida a Direita em Portugal!
Quanto à atitude da deputada independente do PS, nada de anormal.
Em primeiro lugar, quem não conhecia o pouco cristão ódio de Adriano Moreira a José Hermano Saraiva? A filha foi consequente!
Em segundo, o seu radicalismo, ‘ultrapassando’ quantas vezes PCP e BE, justifica a atitude. A deputada foi consequente.
Mas a Obra e a Memória de José Hermano Saraiva é muito superior a estas questiúnculas domésticas!...
Mário Casa Nova Martins

quinta-feira, agosto 02, 2012

Leituras de férias

«Lisboa 1939-1945: A Guerra nas Sombras da Cidade da Luz», do historiador britânico Neill Lochery, editado pela Presença, é uma obra fundamental para entendermos o papel de Portugal durante a II Guerra Mundial, mas também para os amantes da intriga.

O papel preponderante de Portugal na II Guerra Mundial é conhecido de todos. Apesar de oficialmente não ter participado na contenda, pelo nosso país passaram vários espiões e pessoas influentes na resolução da mesma. Neill Lochery comprova com factos que a nação governada por Salazar, apesar da sua suposta neutralidade, era tudo menos neutral, com as duas forças antagónicas a moverem as suas peças num complicado jogo de xadrez, onde as influências e as intrigas determinavam todos os movimentos. Tudo devido a sua posição geográfica. Para o historiador, o filme Casablanca deveria ter sido filmado em Lisboa.
«Na vida real, a cidade de Lisboa durante a Segunda Guerra Mundial mais do que se parecia com o cenário do filme: para muitas pessoas que trabalhavam na cidade durante as fases finais da guerra, Lisboa tornou-se afetuosamente conhecida como ´Casablanca II´. A versão real possuía todos os ingredientes de uma intriga ficcional: romances despedaçados, refugiados desesperados a tentarem obter os documentos necessários e a venderem joias da família para financiarem as suas passagens para outros lugares; um próspero mercado negro em que a procura ditava uma queda para níveis históricos dos preços dos diamantes e de outras pedras preciosas raras; cafés e hotéis cheios de refugiados e espiões espalhados pelo centro da cidade e ao longo das estâncias turísticas costeiras de Lisboa»
Lochery defende que Lisboa foi a única cidade durante a II Guerra Mundial onde os dois lados opostos, as cores pretas e as brancas do jogo de xadrez, «operavam abertamente». Há no livro dois protagonistas claros: Salazar, que faz de tudo um pouco para satisfazer os dois lados da contenda; e o espião Juan Pujol, que teve o mérito (?) de ser condecorado pelos Aliados e pelo Eixo alemão.
Além das incríveis histórias de Pujol, Lochery apresenta centenas de outras, muitas de espiões, o que faz de «Lisboa 1939-1945: A Guerra nas Sombras da Cidade da Luz» uma obra agradável de se ler, onde os factos são tratados muitas vezes como temas de ficção (na realidade, alguns acontecimentos são dignos das melhores histórias de espionagem de Hollywood). Este talvez seja o principal mérito da obra lançada pela Presença. Conseguir fazer com que histórias reais se assemelhem a ficção, tornando a sua leitura um autêntico prazer.
.

quarta-feira, agosto 01, 2012

Agosto

Saudade de ter ver
Quero e não consigo,
Gostava de prever
Quando estar contigo.
Dói tanto não sentir
A pele do teu rosto,
Se adorava beijá-lo
Num quente agosto!
Mário Casa Nova Martins

Free web page counter