\ A VOZ PORTALEGRENSE: Desabafos

quarta-feira, outubro 17, 2012

Desabafos

Bastou à lista dizer publicamente que não apoiava uma recandidatura da atual presidente da Câmara Municipal de Portalegre, para que a mesma ganhasse folgadamente as eleições concelhias que ocorreram quinta-feira dia 4 deste mesmo mês de Outubro.
Dentro da social-democracia portalegrense há muito que eram nítidos sintomas de exaustão face a onze anos de desgaste político, provocado por dez anos de gestão ruinosa do concelho e da autarquia, seguida de fuga às responsabilidades pelo fautor, e um ano de manutenção de certo ‘status quo’.
Também há muito que se sabe que dentro do partido da social-democracia não são vistos com bons olhos os ‘paraquedistas’ que nele ‘aterraram’, vindos do CDS, e que ao longo destes onze anos têm estado à frente de tudo o que é ‘apetecível’ na gestão da autarquia.
Quanto a estes, será curioso ver neste final de ciclo político social-democrata os seus futuros comportamentos. Regressão ao ‘redil’ centrista? Na política, com os oportunismos tudo é possível, e ainda mais!
Todavia, diga-se que no último ano, a Câmara Municipal de Portalegre recuperou credibilidade política junto dos Munícipes. E por certo até ao final do mandato assistir-se-á a um continuado trabalho de saneamento financeiro, a par de um forte rigor orçamental.
Agora, a nova liderança concelhia social-democrata terá que começar do zero o processo que conduzirá às eleições autárquicas de Outubro de 2013.
Não vai ser um caminho fácil, muito pelo contrário. O tempo começa a ser escasso para escolhas e decisões que façam esquecer a responsabilidade do PSD, quer na ruinosa Fundação Robinson, quer na dívida astronómica que coloca Portalegre como a capital de distrito com o maior valor de dívida por Munícipe.
in, Rádio Portalegre, Desabafos, 16/10/2012
Mário Casa Nova Martins

Free web page counter