\ A VOZ PORTALEGRENSE: Desabafos

quarta-feira, outubro 03, 2012

Desabafos

Para os mais distraídos dos meandros da ‘baixa política’, e para aqueles que há muito se distanciaram da ‘porca da política’, o comportamento do CDS face ao Governo liderado pelo PSD parece irresponsável.
Mas, como tudo na vida, há explicação para a forma como o CDS se tem posicionado face a um conjunto de medidas económicas e financeiras decretadas pelo Governo, do qual faz parte, mas onde é parceiro menor.
Há muito que pelos ‘subterrâneos’ do Palácio de Belém se giza uma alternativa ao atual Governo PSD-CDS.
É sabido o ‘ódio de estimação’ entre o presidente da República e o CDS, assim como o ódio que o homem de Boliqueime nutre em relação ao presidente do partido do ex-Largo do Caldas.
Se o presidente da República aceitou esta coligação, para ele contranatura, foi porque na altura não havia outra hipótese, dado o maior partido da oposição ser à época liderado pelo derrotado primeiro-ministro, também outro ‘ódio de estimação’ do algarvio.
De ódio em ódio, o presidente da República, um dos grandes responsáveis pela crise atual do país, tem hoje a possibilidade de gerar o consenso entre os dois maiores partidos, através do regresso do denominado Bloco Central, mas com a novidade de ser o seu partido a liderar a nova coligação. E sabe-se que também hoje é maioritária dentro do PSD a ideia da coligação PSD-PS.
O CDS, como partido responsável, tem que continuar coligado com o PSD até à aprovação do Orçamento de Estado para 2013. Depois deve regressar à Oposição, e ser um espectador interveniente na crítica ao Governo PSD-PS.
in, Rádio Portalegre, Desabafos, 02/10/2012
Mário Casa Nova Martins

Free web page counter