\ A VOZ PORTALEGRENSE: Avelino Bento

terça-feira, janeiro 03, 2012

Avelino Bento

02 Janeiro 2012

os cães ladram e a caravana passa

Este, nunca seria o meu primeiro texto do ano. Mas a necessidade de afirmar a minha dignidade e o meu direito à prática da cidadania, leva-me a escrevê-lo.
Antes de mais gostaria que as pessoas não perdessem a sua Humanidade, quando se referem aos outros, mesmo, porventura, quando existam críticas justas a serem feitas. Que não é, de todo, o caso.
Vem, a este propósito, referir-me àqueles anónimos (felizmente poucos), incapazes de assumirem com frontalidade o seu direito de pensarem diferente, e que no blogue Portalegre, Cidade do Alto Alentejo, se manifestaram sobre a minha inclusão numa das listas que se candidatou à Misericórdia de Portalegre.
Antes de mais candidatei-me por alguém que admiro e estimo, e que acreditou que o meu humilde envolvimento poderia ser colocado ao serviço de uma causa;
Depois, pelo respeito que todas as pessoas, literalmente todas, me merecem, inclusive as da lista que venceu as eleições (A), formulo votos para que desenvolvam um trabalho meritório na Misericórdia de Portalegre, como eu gostaria de o fazer caso tivesse sido eleito. Parabéns à lista A e a todas as pessoas nela integrada, que de uma forma voluntariosa irão ao longo deste mandato fazer o seu melhor. Tenho quase a certeza, porque acredito nas pessoas e nas suas boas intenções;
Ainda, por não reconhecer dignidade nesses(as) indivíduos(as) que anonimamente criticam e ofendem e para quem o trabalho, qualquer que ele seja, se deve confinar à mediocridade, ao contrário de mim, que tenho um percurso de trabalho reconhecido por muitas e muitas pessoas, inclusive, pelos meus pares.
Finalmente, sou um cidadão livre. Nunca pertenci a partidos políticos, mas tenho orgulho em ser uma pessoa de esquerda, pelos princípios que os meus pais, antigos operários, me ensinaram: respeitar a diversidade e a liberdade de expressão e acção de todas as pessoas, mesmo aquelas que pensem diferente de mim. Sou, sobretudo, um homem de diálogo e tolerante.
Curiosamente, todos os que me conhecem, sabem que sou um homem de Fé, de facto sou católico, embora não praticante. E que, por essa educação, sou uma pessoa que aceita e compreende os outros. Não caí no Alentejo agora. Foi só há 37 anos, 27 dos quais aqui em Portalegre. Por isso me sinto portalegrense com toda a legitimidade. E é este estatuto que me permite ter amigos e pessoas que admiro e respeito, em todos os quadrantes políticos, aqui em Portalegre, sobretudo.
Obrigado às pessoas que me respeitam. Por essas, a minha admiração é enorme.
publicada por avelino bento às

Free web page counter