\ A VOZ PORTALEGRENSE: Maria Ana Tavares Casa Nova Martins

quinta-feira, junho 02, 2011

Maria Ana Tavares Casa Nova Martins

Diz-se que o Tempo, esse terrível escultor que em passando tudo modela, cura os desgostos. Espero, eu, que seja verdade.
Nunca se está preparado para perder um Amigo, um Familiar, e muito menos a Mãe. Mesmo que o Pai continue presente.
Hoje há mais do que Saudade. É uma perda insubstituível. Não tenho palavras para descrever aqueles momentos de dor. O luto permanecerá para além do Tempo. O vazio provocado nunca será preenchido.
Quando saímos da Igreja, do céu começaram a tombar gotas de água, que continuaram até chegarmos à última morada. Depois deixaram de cair, como se naquele momento os Elementos se tivessem unido para junto connosco nos despedirmos de minha Mãe.
A Todos os que comigo têm estado, nunca terei gestos ou palavras suficientes para Lhes agradecer.
MárioJ.

Free web page counter