\ A VOZ PORTALEGRENSE: Mário Silva Freire

sábado, abril 30, 2011

Mário Silva Freire

UM CAMINHO UM POUCO MAIS ESTREITO

Desde Março de 2009 que sou colaborador assíduo de “A Voz Portalegrense”. E esse facto deve-se ao convite amável, de vez em quando renovado, que o gestor deste blog, Mário Casa Nova Martins, me ia fazendo. Não pude resistir, tanto mais que, para mim, escrever é também uma necessidade e esta poderia ser satisfeita, parcialmente, com esta colaboração.
Aqui tive oportunidade de dar opinião sobre situações referentes à cidade de Portalegre, reflectir sobre temas diversificados ligados aos valores, como sejam os da solidariedade, da religião, da paz. Foi aqui que prestei a minha homenagem a pessoas amigas que deixaram rastro e que para sempre se separaram de nós. Foi neste espaço que dei as minhas razões que justificam a alteração do paradigma em que vivemos, que fomenta o consumo, visa desesperadamente o lucro, prejudica a Natureza e, principalmente, lesa os que mais precisam.
Ora foi neste blog que mantive uma coluna semanal sobre educação, sector que absorveu, praticamente, toda a minha vida. Nela expus as minhas ideias sobre o que penso a respeito deste espaço da vida da sociedade. E essas ideias resultaram não só de leitura mas, também, da minha experiência de professor com mais de 42 anos de serviço em níveis de ensino diferentes e do convívio, quase quotidiano, que vou mantendo junto de adolescentes em situação de aprendizagem. Julgo ter sabido o que se passava na escola, enquanto professor no activo, e hoje tenho, igualmente, uma representação do que é a escola dos nossos dias, obtida, é certo, por via indirecta e, por isso, com muitas lacunas, mas com a nitidez suficiente para poder expressar opiniões não desinseridas do contexto de onde elas emergem.
Pois bem, é a escola e a educação que me desafiam, agora na companhia de um outro amigo e companheiro da mesma jornada, a criarmos e inserirmos as nossas produções num espaço internet tematicamente mais específico. Essa a razão que deixarei, pelo menos com a assiduidade que tinha mantido até agora, de escrever na Voz Portalegrense.
Ao Mário Casa Nova Martins expresso toda a minha admiração pela maneira como se tem empenhado em servir a causa pública, ao mesmo tempo que sempre acolheu e respeitou as convicções dos outros. Ele, pondo o seu nome no blog, exigiu um patamar de seriedade a todas as produções (e comentários!) e revelou um sentido ético que, nos nossos dias, já é moeda pouco frequente.
Este texto não é de despedida; ele anuncia, apenas, o desejo de agora trilhar um caminho um pouco mais estreito, mas sem perder de vista aquele que estava a ser calcorreado.
Para ti, Mário, dir-te-ei, simplesmente, até breve e obrigado.

Free web page counter