\ A VOZ PORTALEGRENSE: A Casa Azul

terça-feira, março 29, 2011

A Casa Azul


"A Casa Azul" não é um blogue muito vocacionado para se exprimir em termos políticos.
Porém, ao ler o artigo «A crise que Cavaco 'prometera'», neste espaço amigo, com enorme atenção, decidi juntar mais umas adendas.
O CDS tinha, antes desta carnavalada toda, proposto um espaço da Direita que competisse nas eleições por oposição às forças socialistas-maçons.Inclusive, propôs ao PSD um acordo pré-eleitoral.PSD que prontamente recusou, com alguma ligeireza, diga-se de passagem...
No entanto, o PPM vem aqui e aqui propor uma nova Aliança Democrática.
Sendo a actual situação de Portugal gravíssima, creio que a proposta tem todo o sentido.
O óbice é que o sr. Coelho está cada vez mais parecido com o sr. Sócrates na abundância de discursos contraditórios e pouco claros...Começa a tornar-se difícil distinguir o original da cópia!
A História dos últimos anos, cada vez mais confirma a degradação dos partidos do "centrão".
Penso que se deve conseguir uma alternativa ganhadora de Direita, com novas políticas e personagens nos papéis principais. Um acordo CDS/PPM, não me repugnaria nada, por duas razões:
1-O CDS-PP é a única alternativa, e com bons serviços prestados a Portugal, à Direita.
2-O PPM está em fase de renovação positiva, principalmente desde que saiu de lá o "fadista" de má memória. As pessoas que estão à frente do PPM primam pelo respeito à Instituição Real, são voluntariosos e com um mínimo de princípios fundamentais ao bem nacional.
Uma condição base para tal coligação, ainda possível, seria o sim ao referendo sobre a Restauração da Monarquia. Restauração da Monarquia, cada vez mais premente ante a total perda da soberania de Portugal.
Outro aspecto a considerar, foi a intervenção construtiva que a chamada Direita Nacional, teve nos governos ou junto dos governos europeus, nas autarquias europeias, nas regiões europeias, nas cidades europeias...
No caso português, urge deixar de haver complexos serôdios e mal explicados, e trazer à liça e ao arco constitucional, o contributo dos cidadãos e cidadãs que militam no PNR.
No momento gravíssimo que Portugal atravessa, todos os contributos de novas gerações de políticos, de novas pessoas sem vícios, de novas ideias, é fundamental na derrota do socialismo-maçon e na travagem da degradação moral, familiar e económica de Portugal.
Disse!

Free web page counter