\ A VOZ PORTALEGRENSE: Água em Portalegre aumenta 10%

terça-feira, fevereiro 01, 2011

Água em Portalegre aumenta 10%

É fartar vilanagem!
O preço da água no concelho de Portalegre aumenta 10%!

Junto com a conta referente ao mês de Dezembro vem uma carta em nome dos Serviços Municipalizados de Águas e Transportes da Câmara Municipal de Portalegre.
Começa da seguinte forma:
_ «Ana Cristina Carrilho Manteiga, Presidente do Conselho de Administração dos Serviços Municipalizados de Águas e Transportes da Câmara Municipal de Portalegre e Vereadora da Câmara Municipal de Portalegre;».
E termina a carta da forma seguinte:
Portalegre, 09 de Dezembro 2010
A Presidente do Conselho de Administração

(Ana Cristina Carrilho Manteiga)
.
Tivemos o cuidado, em primeiro lugar, de identificar a autoria da dita carta, e, em segundo lugar, transcrever a parte final com o objectivo de se dizer que a sobredita carta não está assinada.
A carta é autêntica? A carta é verdadeira? A dita responsável não assinou nem com a sua assinatura ou com uma simples rubrica, o que coloca em dúvida a sua autenticidade.
Mas dada a incúria, ou será incompetência?, ou será irresponsabilidade?, que medra actualmente na Câmara Municipal de Portalegre e em certas das suas Empresas Municipais, certamente a carta é mesmo dos ditos Serviços Municipalizados de Águas e Transportes da Câmara Municipal de Portalegre.
E assim sendo, para 2011 o preço da água no concelho de Portalegre tem um aumento de 10%.
Esse aumento de 10% no preço do metro cúbico da água, vai reflectir-se no consumidor, no munícipe, em 7,5%.
Também há um acréscimo na parte variável dos resíduos sólidos.
Justificam-se estes brutais aumentos, porque «por força da Lei das Finanças Locais, ficou o Município obrigado a fixar preços não inferiores aos custos suportados com a prestação do serviço de Abastecimento, Saneamento e Resíduos Sólidos». Como diz o Povo, “a morte sempre tem uma desculpa”.
É fantástico o mal que as Empresas Municipais fazem aos municípios, e consequentemente aos munícipes! O problema maior da crise que Portugal atravessa é motivado pelas Empresas Públicas, sejam elas do estado ou sejam dos municípios. Gestores, que o são por serem militantes do partido que gere o estado ou a autarquia, com ordenados altíssimos, mordomias de toda a ordem e incompetência a rodos, de que é exemplo, embora menor, a não assinatura da carta desta «Aviso de Alteração de Preços», mostram a que ponto chegou o Regime.
A Câmara Municipal de Portalegre está em ‘falência técnica’, a sua dívida, face às suas receitas actuais e futuras, é astronómica.
Há em Portalegre uma Fundação, a Fundação Robinson. Continua sem se perceber para que serve. Sabe-se, sim, que tem uma dívida enorme, e sabe-se quem dela aufere e quanto, a começar pela figura de um presidente do conselho de administração.
Mas tudo isto não é motivo de conversa em Portalegre, onde os pobres são cada vez mais pobres, a classe média proletarizou-se, e um grupo muito restrito conotado com o gabinete presidencial autárquico usufrui de benesses típicas de um terceiro-mundismo.
É fartar vilanagem!
Mário Casa Nova Martins
.

Free web page counter