\ A VOZ PORTALEGRENSE: Crónica de Nenhures

terça-feira, janeiro 11, 2011

Crónica de Nenhures

Laranja com Vodka


A política é uma arte. Tempos houve em que a política era uma arte nobre, nobre arte. Todavia, hoje, essa nobreza de arte abastardou-se e não é mais do que uma arte para a sobrevivência, política!
Parece confuso, mas não o é. Com um exemplo concreto entende-se que no tempo presente a política, de arte passou a luta e de nobre passou a medíocre.
No distrito de Portalegre existem três concelhos em que nas últimas eleições autárquicas o partido vencedor não conseguiu a maioria absoluta: Crato, Nisa e Portalegre.
No Crato e em Nisa o PCP ganhou com maiorias relativas, ficando, portanto, em minoria nos órgãos autárquicos. Em Portalegre a lista que concorreu com a sigla do PSD, liderada por um independente junto com uma facção do mesmo partido, está em minoria nos órgãos autárquicos.
Em Portalegre, Nisa e Crato, os Orçamento e Plano de Actividades para o ano de 2011 não foram aprovados, pelo que nas três autarquias se ‘vive’ com duodécimos.
Bastará que o PCP se abstenha em Portalegre e o PSD em Nisa e no Crato para que os mesmos Orçamento e Plano de Actividades para o ano de 2011 sejam aprovados.
Decorrem negociações entre o PCP e o PSD a nível local e distrital para que se estabeleça um acordo para que Crato, Nisa e Portalegre deixem de viver com duodécimos e os respectivos Orçamento e Plano de Actividades para o ano de 2011 sejam aprovados.
No concelho de Portalegre é recorrente, sempre que o PSD é minoritário, este se aliar ao PCP, quer em coligação, quer em acordos de outra natureza. Nos outros concelhos do distrito, sempre que, ou o PSD, ou o PCP, necessite de outro partido para obter maiorias há sempre o pleno entendimento PCP/PSD.
A estratégia do PCP e do PSD no distrito de Portalegre é de tenaz face ao PS, na tentativa de o enfraquecer. Porém, mostra a história autárquica desta Terceira República que nunca o PS saiu fragilizado deste política PCP/PSD, enquanto o PCP definha. Se o PCP obtém no momento o que politicamente quer com a aliança com o PSD, nas eleições seguintes perde votos e consequentemente mandatos.
O PSD, é ‘genético’!, tem sempre como primeiro objectivo destruir o partido CDS, querendo arrebanhar o seu eleitorado e ocupar todo o espaço político que em conjunto CDS e PSD representam. Esta tendência, não hegemónica mas totalitária, do PSD tem tido êxito no distrito de Portalegre, onde o malfadado ‘voto útil’, útil para quem o recebe mas inútil para quem o dá…, tem funcionado a contento do PSD.
Mas hoje no concelho de Portalegre o CDS tem um representante na Assembleia Municipal. E o que dele se espera é que defenda os interesses dos Munícipes de Portalegre. Temos a certeza que hoje assim o faz.
Mário Casa Nova Martins
facebook.com/Mario.Casa.Nova.Martins

Free web page counter