\ A VOZ PORTALEGRENSE: Cavaco Silva e 'a péssima moeda'

sexta-feira, janeiro 21, 2011

Cavaco Silva e 'a péssima moeda'

A péssima moeda

Em política pode-se esquecer tudo, menos o passado. Assim sendo, há que fazer um esforço de memória e lembrar como terminou o XVI Governo Constitucional, liderado por Pedro Santana Lopes.
O então presidente da República Jorge Sampaio demite o primeiro-ministro, dissolve a Assembleia da República e convoca eleições legislativas antecipadas.
Estava-se na parte final do seu segundo e último mandato, e através de um ‘golpe de estado constitucional’ demite o XVI Governo com a finalidade de através da consulta eleitoral fazer com que o seu partido, o Partido Socialista (PS), regressasse à área do poder.
É desta forma que José Sócrates ascende a primeiro-ministro.
Mas para que tal acontecesse sem que o próprio partido de Santana Lopes, o PSD, se sentisse deveras atingido politicamente, Jorge Sampaio teve um aliado de peso dentro do próprio PSD. O seu nome é Aníbal Cavaco Silva.
Aníbal Cavaco Silva escreve um artigo no semanário Expresso de 27 de Novembro de 2004, intitulado «Os políticos e a lei de Gresham». Nele, de forma clara, faz um ataque feroz à governação da coligação PSD-CDS liderada por Pedro Santana Lopes.
As repercussões de tal artigo foram fortíssimas na opinião pública e demolidoras para os alicerces do governo, dando o pretexto final a Jorge Sampaio para demitir Santana Lopes, dissolver a Assembleia da República e marcar eleições legislativas.
Se em política o passado não se pode apagar, também na política não há coincidências, ou se as há, então estas nunca serão inocentes.
Aníbal Cavaco Silva, com interesse próprio, é um dos principais responsáveis da queda do XVI Governo Constitucional, liderado pelo PSD, o seu partido político.
Sendo reeleito, na primeira oportunidade Cavaco Silva demitirá o actual governo do PS, e tudo fará para que o PSD regresse à governação com um primeiro-ministro dócil, liderando ‘à distância’, do Palácio de Belém.
A ‘promessa’ do actual líder do PSD, Pedro Passos Coelho, de o PSD se coligar com o CDS, mesmo que o PSD tivesse maioria absoluta, não é mais do que propaganda eleitoralista, traiçoeira para o CDS, mas que reforça a teoria da conquista do voto útil à Direita por parte do PSD.
No seu interesse pessoal, Cavaco Silva dá contributo fundamental para a queda de um governo do PSD. Dúvidas haverá sobre o que irá fazer no futuro?
Como se infere, politicamente, Aníbal Cavaco Silva é uma ‘péssima moeda’.
A Lei de Gresham resume-se na seguinte proposição: _ “A má moeda tende a expulsar do mercado a boa moeda”.
E a péssima?
Mário Casa Nova Martins

Free web page counter