\ A VOZ PORTALEGRENSE: Márcio-André

quinta-feira, julho 22, 2010

Márcio-André

*
21 de Julho 2010 (21H)
Performance:
Em pareceria com Ana Matey, responsável pelo projecto ARTe en AcciON (Madrid), apresentação de 4 performances:
Analía Beltrán i Janés (Espanha) “Pegat al cap”
Performance individual. Duração: 30’
Trabalha em Arte de Acção desde 2001, na qual centra a sua actividade, apesar de ter formação em Artes Plásticas e ter começado por trabalhar em Fotografia e Vídeo. Tem participado em vários festivais de performance a nível internacional. Nesta performance Analía Beltrán vai trabalhar o tema da infância e da violência. Segundo as palavras da artista «uma mesma pessoa pode passar de agredida a agressora quando muda a sua posição de poder». A artista tentará fazer reflectir a audiência àcerca destas questões frágeis e ocultas na nossa sociedade.
Iris Nava (México) “Magdalena”
Performance individual. Duração: 60’
Nasceu no México, apresentado-se como mestiça de raça e pensamento. É perfomer e gestora cultural desde 1994. Trabalha actualmente em Madrid. Frisa que o seu trabalho se foca em três temas: identidade, autobiografia e a questão da prostituição. Nesta proposta usará um material novo nas suas acções, os ícones religiosos, esperando criar uma espécie de «romaria» ou «penitência» em interacção com o público que encontre ao acaso pela rua, numa parte bastante povoada da cidade.
Paco Nogales (Espanha) “Tóxico”
Performance individual. Duração: 30’
As linhas de força do trabalho de Paco Nogales são a dor, o luto, emoções, espiritualidade, condicionamentos sociais, masculinidade e género. Interessa-se pela performance primeiramente como uma prática onde pode fazer confluir formas de expressão artística díspares. Aborda a performance numa perspectiva autoral artística mas também como forma alternativa de pedagogia. A proposta que irá apresentar trabalha a masculinidade, questionando-a como forma de condicionamento emocional, ou como problemática de género dominante. Problematiza o entendimento diferenciado entre géneros, no que respeita ao consumo de agentes tóxicos, o entendimento cultural de um homem e uma mulher alcoolizados, e a tendência para a permissão do uso emocional da violência a um dos géneros.
Ana Matey (Espanha) “Slow Food”
Performance individual. Duração: 120’
O seu primeiro contacto com o uso do corpo nasce através do Butoh 2004. Segundo a própria, este fá-la explorar os limites do corpo e da morte. De 2006 a 2008 começa a experimentar o espaço público, trabalha a imobilidade em mais de 100 intervenções, permanecendo imóvel desde 1 minuto até 6 horas - «observava assim a diluição do espaço e do tempo que através do corpo se tornavam um só». Ana Matey organiza também eventos relacionados com a performance desde 2006, no seu estúdio El Carromato e no espaço Espora, ambos em Madrid. No seu trabalho o corpo é o centro, as acções são pensadas como exercícios de liberdade, paciência, desapego, consciência do medo... , interrogações possíveis para o espectador.
Vídeo performance:
Vanessa Castro e Iñaki López (Espanha) “Torneo passión”
Duração: 30’
Documentário sobre proposta de acção/desporto com apresentação pelos autores.

22 de Julho 2010 (21H)
Performance:
Marcio Shimabukuro (Brasil) S/ título
Performance. Duração: 40’
O quotidiano é a base para as pesquisas performáticas de Marcio Shimabukuro, que utiliza um método simples de desconstrução de rotinas e padrões do quotidiano para procurar descobrir o inusual no comum, analisando (tempo x espaço x acção x contexto).
Jakub Falkowski (Polónia) S/ título
Performance. Duração: 20’
A sua primeira aproximação à experiência artística dá-se através do teatro, a sua formação académica. A performance surge no seu percurso como um desdobramento, uma abertura a variadas direcções. Interessa-se neste momento por peças onde existe uma forte participação do público ou onde o público é co-autor.
Márcio-André (Brasil) “Multitubetextura”
Performance. Duração: 20’
Poeta experimental e performer, deu aulas de escrita criativa de nível avançado e poesia sonora na Universidade de Coimbra. O foco do seu trabalho é a construção do som e da palavra em tempo real. Além de várias apresentações no Brasil e Argentina, tem apresentado o seu trabalho regularmente em várias cidades Europeias.
http://www.marcioandre.com/
Happening:
Marcio Shimabukuro (Brasil) “Chess Table”
Duração: 5’
Acção colectiva a realizar com o público, caso se consiga a intervenção mínima de 32 pessoas.
_______

Free web page counter