\ A VOZ PORTALEGRENSE: Luís Filipe Meira

terça-feira, abril 20, 2010

Luís Filipe Meira

No CAEP
A Contornar a Crise

Taxi Taxi! e Sean Riley

Longe vão os tempos em que nestas páginas referia, com alguma mágoa, que a oferta de espectáculos promovida pelo CAEP era quase excessiva, pois dificilmente um orçamento familiar normal conseguia acompanhar as propostas apresentadas. Hoje, a oferta continua a existir mas sem o brilho de outros tempos.É no entanto imperativo que se diga que o programa que o CAEP oferece continua a ser bastante digno e quase sempre interessante. Posto isto, passemos à análise das prestações das Taxi Taxi! e de Sean Riley que nos visitaram recentemente.

TAXI TAXI!
Pequeno Auditório
Sábado 10.04
O que dizer deste duo sueco formado por duas meninas muito jovens e bem dispostas, com boa voz e gostos interessantes, que deram em Portalegre, depois dum óptimo jantar e antes do regresso a casa, um último concerto de um tour europeu naturalmente desgastante?
Pouca coisa! Certamente que as mocinhas estavam desejosas de regressar a Estocolmo e contar à família e aos amigos as peripécias desta primeira aventura europeia.Ainda assim, julgo que vale a pena não as perder de vista, pois há ali potencial que justifique manter o interesse para observação futura só que noutras condições.

SEAN RILEY & THE SLOWRIDERS
Grande Auditório
Sábado 17.04
Parece que foi ontem que assisti no Espaço Café Concerto do CAE à imberbe mas assaz curiosa actuação desta banda de Coimbra. Mas já lá vão três anos, dois albuns gravados, uma actuação no Festival de Paredes de Coura, além de um coro de elogios de gente influente. Três anos em que os rapazes aproveitaram para ganhar corpo, maturidade e potenciar o talento que já era patente na altura.
Por isso não se estranha o magnífico concerto que Sean Riley e os seus Slowriders nos ofereceram no último sabado. Perante uma sala bem preenchida por um publico interessado mas menos entusiasta do que é hábito, estes músicos que dominam perfeitamente o “American Songbook” levaram-nos “Pela Estrada Fora” numa viagem pela América que tanto os fascina, como ficou amplamente demonstrado no lançamento do concerto com a leitura em off das últimas linhas de “On The Road”, a bíblia da geração beat que Jack Kerouac escreveu em 1957.
Sean Riley de voz anasalada e um visual tipo Bob Dylan de ”Highway 61 Revisited” está um front man de estalo e os seus Slowriders, cujo espirito também navega algures pela Route 66, cobrem-lhe as costas com talento e perfeição neste assalto concertado ao melhor da musica americana em que guitarras galopantes em registo rock de auto-estrada convivem com a tradição americana espelhada em orgãos gospel, pianos honky tonk e baladas melancólicas deixando no ar uma questão sem resposta; porque é que em Coimbra se faz tanta e tão boa musica americana???
Se no ar fica uma questão, há no entanto uma conclusão que se tira...
Como cresceram estes rapazes em pouco mais de três anos!
E é assim, com bons concertos a preços baixos, que se contorna a crise.
Luís Filipe Meira

Free web page counter