\ A VOZ PORTALEGRENSE: Maio 2009

domingo, maio 31, 2009

Mário Silva Freire

Imagem do nascimento de estrelas a 12 bilhões de anos-luz da Terra
.
Do saber à sabedoria
.

David Sloan Wilson é um investigador em Biologia Evolutiva que na revista Visão de 21 de Maio passado deu uma entrevista em que fala do tema da sua especialidade mas tenta extrapolar os seus conhecimentos para outros domínios. Diz ele que o nível cultural é uma forma de evolução e que não existe nenhum assunto humano que não possa ser abordado com êxito a partir de uma perspectiva evolucionista. Diz ainda que “a evolução já fez isso para a Biologia e agora estamos a fazê-lo para tudo o resto. O que inclui a religião”.
Por outro lado, numa entrevista televisiva, há cerca de duas semanas, no programa “Câmara Clara” da RTP2, alguém afirmava que, para se chegar à sabedoria, tinham que ser percorridas algumas etapas. E, se a memória não me falha, enumerava as seguintes: dados – informação – saber – sabedoria.
Para se alcançar o saber, já há muito que a metodologia científica propõe que a recolha de dados, isto é, a selecção dos factos que sejam relevantes no estudo de um tema, constitua uma condição para existir informação. Mas esta não é condição suficiente para se afirmar que há já um saber.
Normalmente, no mundo em que vivemos, ficamo-nos por esta etapa: recepcionamos dados, nem sempre fiáveis, a partir de uma ou várias fontes e, depois, construímos os nossos conceitos. Ora, nem sempre estar-se informado sobre algo significa conhecer-se o que se deseja. Relatar um acontecimento é já ter atingido um certo patamar na informação. Mas ele só será verdadeiramente conhecido quando for possível realizar uma análise, decompondo-o nos seus elementos, confrontá-lo com outros, aparentemente semelhantes, estabelecer analogias e diferenças, inferir consequências.
Ora Sloan, como cientista, tenta formular hipóteses a partir dos dados que recolhe e, certamente, irá confrontá-los com essas mesmas hipóteses, tendo em vista uma sua compatibilização com os resultados que vai obtendo. Se esta se verificar, tentará, então, uma generalização das suas concepções. E, pelo que entendi na entrevista, ele, como darwinista, está a tentar essa generalização, incluindo a religião, como uma forma de expressão cultural. E tudo isto teria por base o acaso e a selecção natural.
A mesma orientação, mas com um fio condutor diferente, levou Teilhard de Chardin, no século passado, a fazer uma outra abordagem à evolução. Este, padre jesuíta e paleontólogo, estabeleceu que todo o Universo evoluiria, do caos primordial ao aparecimento da consciência humana. Esta, por sua vez, passaria a formas mais complexas, dando origem a uma super-humanidade. Produzir-se-ia, então, uma unidade biológica e crística, formada por pessoas movidas pelo altruísmo mais generoso e pela graça sobrenatural própria do cristianismo. Nesta abordagem, haveria uma força criadora que tudo regulava: Deus.
Ambos os autores, a partir dos dados que estudaram, construíram concepções diversas sobre o que gera e o que significa a evolução.
Diz-se no Livro da Sabedoria, versículo 8, que “se alguém deseja uma vasta ciência, ela (a sabedoria) é que sabe o passado e entrevê o futuro (…), conhece os sinais e os prodígios, e o que tem de acontecer no decurso das idades e dos tempos.”
Ora, cada um destes investigadores, a partir dos seus saberes, construiu uma visão do mundo e do homem muito diversa, tentando antever, a partir dos sinais e prodígios o que irá acontecer no decurso das idades e dos tempos. Sendo sábios, essa sabedoria traduziu-se, no que a esta matéria diz respeito, na defesa das suas convicções mais profundas, servindo-se da Ciência.
Cá por mim, a minha modesta sabedoria vai no sentido de reafirmar o que já disse neste blog: a ciência e a religião não jogam uma contra a outra; elas situam-se em planos diferentes. Isto não significa que, como crente, não deixe de admirar a vastidão, a complexidade e a harmonia existentes na Natureza e no Universo e entenda, por outro lado, que outros procurem ver na religião algo que, muito prosaicamente, possa ser explicado pelo darwinismo materialista.
Afinal, não é na diversidade da paisagem, seja ela de natureza ideológica ou biológica, que reside a riqueza? E a esta riqueza não existe crise que se lhe possa opor!
Mário Freire

sexta-feira, maio 29, 2009

Desabafos

Portugal está em plena campanha eleitoral, que se vai estender até Outubro. Começou na Primavera e terminará no Outono, esperando-se um Verão quente.
Mas há muito que a política em Portugal está ao rubro. Uma profunda crise económico-financeira e uma taxa de desemprego galopante perspectivam um período eleitoral em que valerá tudo para ganhar votos. Mas, no final, que a Demagogia seja derrota e que a Democracia saia reforçada.
Referindo apenas o primeiro dos três actos eleitorais, as eleições para o Parlamento Europeu no próximo dia 7 de Junho, que os vencedores sejam os Partidos contra o Tratado de Lisboa, contra o Federalismo Europeu e contra a entrada da Turquia na União Europeia.
Quem responde afirmativamente a estes três itens fundamentais para preservar a Identidade da Europa, são à Direita o PNR e à Esquerda o PCP e o BE. Miguel Portas, Ilda Figueiredo e Humberto Nuno de Oliveira defendem uma Europa mais Social, com voz activa perante os EUA, que acolha no seu seio a Rússia. E todos são contra uma recandidatura de Durão Barroso à Presidência da Comissão Europeia.
A mobilização, à Direita e à Esquerda, em torno destes objectivos é o leitmotiv para esta campanha. A forte abstenção prejudicará o “centrão”, que nestas eleições é formado pelo PS que pertence à família do Partido Socialista Europeu, e aos CDS e PSD que ambos pertencem ao Partido Popular Europeu.
Por Portugal, há que votar em quem defenda os interesses dos Portugueses, face aos Eurocratas e à Eurocracia instalada!
in, Rádio Portalegre, Desabafos, 29/05/09
Mário Casa Nova Martins
_______
Terminou mais uma série de Desabafos. Para nós foi a quinta vez que na Rádio Portalegre fazemos parte desta Equipa. Agradecemos o Convite que nos foi feito pelo José Chambel Tomé e o José Nabo, e a paciência que tiveram connosco o João Albuquerque e o Rui Anacleto.
Bem-Hajam.
Mário

quinta-feira, maio 28, 2009

Biblioteca Municipal de Portalegre

As Aventuras do MUNDO DE AVENTURAS

A Memória da Juventude jamais esquecerá os 'livros aos quadradinhos', como os da colecção 'MUNDO DE AVENTURAS!
Mário

Música & Palavras

quarta-feira, maio 27, 2009

Autárquicas - 2009 - Portalegre

Dar vida a Portalegre
.
Está dado oficiosamente o “pontapé-de-saída” para as Eleições Autárquicas no Concelho de Portalegre. As caixas de correio do Concelho foram inundadas por um folheto de apresentação do candidato socialistas José Escarameia de Sousa.
Com o slogan «Dar vida a Portalegre», afirmando que “é tempo de mudar para melhor”, esta Candidatura será formalmente apresentada no próximo sábado dia 30 de Maio, pelas 18 horas no Convento de Santa Clara.
Finalmente começa a ser possível conhecer as propostas alternativas ao status quo que há oito anos vem, para o bem e para o mal, gerindo os destinos dos Portalegrenses.
O dito folheto já fala em propostas que o candidato irá desenvolver ao longo da jornada eleitoral.
«Portalegre, um Concelho Competitivo», “requer” «Gerar emprego», «Estimular o Empreendedorismo», «Agilizar os Licenciamentos», «Reforçar a aposta no Turismo», «Atrair e fixar pessoas muito qualificadas» e «Aposta decisiva na imagem e na Marca “Portalegre”».
«Portalegre, um Concelho com Qualidade de Vida», “requer” «Cuidar da Cidade e das Freguesias», «Melhorar os transportes urbanos», «Construir e dinamizar uma central urbana de distribuição de mercadorias», «Dar vida aos jardins», «Construir o parque urbano», «Captar Novos Públicos e aumentar a oferta nas áreas de Cultura e Desporto», «Apostar em Portalegre como um Concelho Criativo e de Participação Cívica», «Voltar a fazer as “Festas da Cidade” e «Aposta aglutinadora em torno do ambiente».
Que os Eleitores julguem estas propostas no momento certo.
Contudo, dificilmente a Candidatura de Escarameia de Sousa chegará a “bom porto”. Era importante para Ele, e quiçá para Portalegre, que a Esquerda aparecesse ao acto eleitoral em coligação. PS, PCP e BE devem unir Gentes e Vontades em torno de uma proposta ganhadora.
À Direita, o CDS tem que liderar um projecto plural. Que nas suas listas inclua Independentes e Militantes do PNR e do PPM.
Portalegre merece mais!
Mário Casa Nova Martins
-
-

terça-feira, maio 26, 2009

Sport Lisboa e Benfica

O sebástico “desejado” envolto em nevoeiro
.
À Mexicana
.
Como o Sport Lisboa e Benfica ainda não tem no seu plantel nenhum jogador Mexicano, eis que “criou” uma Telenovela Mexicana em torno do caso do treinador para a próxima época.
O comunicado que o Sport Lisboa e Benfica emitiu ontem, para a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), é um texto “assassino” para o ainda treinador Quique Flores. Dele infere-se que o SLB apenas espera que a rescisão não seja unilateral, mas de comum acordo. Só não entende quem não quer…
Se, por absurdo, Quique Flores continuasse, a sua autoridade está desde já abalada face ao que tem sido dito e redito na comunicação social. Se, quando começaram a vir a público notícias que davam como certo Jorge Jesus como futuro treinador, tivesse havido um desmentido categórico por quem de direito, Quique Flores manteria o estatuto profissional intocável, assim, não tem condições para continuar. E tem todo o direito de ser ressarcido do prejuízo profissional, e acima de tudo moral, consequente.
Começa bem a “nova” época do SLB!
Mário

Além-Tejo e a Água

Capitais de Distrito do Alentejo
.
_ Évora 8,5 € por 10 metros cúbicos de água

_ Beja 12,20 € por 10 metros cúbicos de água

_ Portalegre 14,00 € por 10 metros cúbicos de água

in, 28 PRIMEIRO CADERNO – Expresso, 23 de Maio de 2009

O preço da água em Portalegre, no ranking dos principais concelhos de Portugal, está em 51.º lugar, Beja em 76.º lugar e Évora em 164.º lugar.
Nas três Capitais de Distrito, a entidade gestora é “M – Câmara Municipal, Serviços Municipalizados ou Empresa Municipal”.
.
Em Beja o preço da água face a Portalegre é 13% mais barata, menos 1,80 €.
Em Évora, o preço da água face a Portalegre é 39% mais barata, menos 5,40 €.

segunda-feira, maio 25, 2009

Sport Lisboa e Benfica

Perguntar é preciso
.
Segundo a imprensa desportiva, Quique Flores mostrou-se melindrado e até magoado pela forma como Filipe Vieira e Rui Costa conduziram todo o processo da sua saída no final da época, sublinhando ter ficado a saber do destino que lhe fora traçado através das parangonas da imprensa, a qual avançara mesmo com o nome do sucessor.
Mas longe vão os tempos do Marquês da Praia ou de Jorge de Brito. Hoje o Sport Lisboa e Benfica é gerido com gente que outrora jamais teria condições ou veleidades de pretender um cargo directivo nesta Instituição.

Estabelecida a classificação final da Liga Sagres 2008/2009, constata-se que os dois primeiros classificados tinham treinadores portugueses, assim como o quarto e o quinto. Não referimos os seguintes, porque a nossa análise quer privilegiar justamente o facto do treinador Manuel Machado ter ficado em quarto lugar, enquanto o “falado” futuro treinador do Benfica ter ficado em quinto. E vale a pena lembrar que nos jogos entre SLB e Sporting de Braga, o SLB de Quique Flores venceu claramente os dois encontros.
Jorge Jesus vai ser o treinador do Sport Lisboa e Benfica em 2009/2010. Indemnizações para a equipa técnica que sai e para o clube onde Jorge Jesus tinha mais um ano de contrato, são indício de que dinheiro não é problema lá pelas bandas do Estádio da Luz. E para não se falar de contratações já confirmadas de novos jogadores, quando, quanto a saídas para o Clube realizar mais-valias, nada!
Se manter Reyes devia ser o primeiro objectivo para a próxima época, por que nunca foi equacionada a hipótese de Manuel Machado para treinador, cuja época foi em termos classificativos superior à de Jorge Jesus?
Mário

Vivo e de Boa Saúde!


sexta-feira, maio 22, 2009

Desabafos

Segundo o “Democracy Index”, feito pelos especialistas da revista “The Economist”, a democracia portuguesa está a perder qualidade. De 2006 para 2008, Portugal perdeu seis posições, passando do 19.º lugar para o 25.º. Entre os 27 países da União Europeia, Portugal encontra-se assim na cauda do pelotão. Agora está em 25.º lugar da tabela mundial, no universo de 167 países.
A equipa do “The Economist” que preparou o relatório, a chamada “Intelligence Unit”, concluiu que se deu globalmente, de 2006 para 2008, uma ‘recessão democrática’. Em 68 países houve regressão, em 56 evolução positiva e 43 mantiveram as suas posições. E essa ‘recessão democrática global’ é explicada com a crise económica, que fez despertar nalguns países fenómenos xenófobos anti-imigração.
O “Democracy Índex” divide os países em “democracias plenas” (os 30 primeiros do ranking), “democracias imperfeitas” (do 31º lugar ao 80º), “regimes híbridos” (entre o 81.º e o 116.º) e “regimes autoritários” (do 117.º ao 167.º).
Quanto a Portugal, o que o fez baixar seis posições foi o item da ‘participação política’, que mede a participação popular nos actos eleitorais.
Tende a baixar a ‘participação política’ em Portugal. Por exemplo, prevê-se para o próximo acto eleitoral de 7 de Junho, as eleições para o Parlamento Europeu, o recorde de abstenções. Os portugueses descrêem da classe política dominante. Vão-se acumulando escândalos de toda a ordem, a par da diminuição da qualidade dos agentes políticos.
in, Rádio Portalegre, Desabafos, 22/05/09
Mário Casa Nova Martins

Darwin

-

quinta-feira, maio 21, 2009

Séries de Televisão


Supercar
-
É com a maior alegria que, graças ao YouTube, encontrei este filme de uma série televisiva que marcou a juventude do Ilustre Amigo Camilo.
Ele ajudou-me na busca de uma outra,
Stingray, a qual na época fui fã incondicional.
Supercar teve trinta e nove episódios de meia hora, e data de 1961 e 1962.
Hoje a série completa está disponível em
DVD.
Mário
-

Boletim Evoliano

-

quarta-feira, maio 20, 2009

Séries de Televisão


Stingray TV Show Intro (1964)
-

Quando o Duarte me convidou para falar de quinze séries de televisão que vira e de que gostara, uma houve cujo nome não me consegui lembrar. Também em minha ajuda veio a Júlia e o Camilo.
Finalmente consegui “lá” chegar. Chama-se
Stingray. Entre 1964 e 1965, teve trinta e nove episódios de meia hora cada.
Um prazer maior, poder revê-la!
Mário
-

Stingray TV Show Outro (1964) Aqua Marina

Séries de Televisão

Stingray: The Loch Ness Monster
-

Stingray: The Loch Ness Monster - Part 1
-

Stingray: The Loch Ness Monster - Part 2
-

Stingray: The Loch Ness Monster - Part 3

Séries de Televisão


Thunderbirds
-

Thunderbirds foi um série infanto-juvenil para televisão muito popular, produzido entre 1965 e 1966 por Gerry Anderson e Sylvia Anderson. No total teve trinta e duas histórias narradas em 64 episódios. Cada história era dividida em dois ou mais episódios. Com marionetas, a acção passava-se no século XXI.
Esta série deu origem em 1966 a um filme «
Thunderbirds Are Go», e em 2004 a um filme com humanos «Thunderbirds».
-

The Making Of Thunderbirds

terça-feira, maio 19, 2009

Grupo dos Amigos de Olivença

Chegou hoje o Boletim «Olivença Portugal»
do
Grupo dos Amigos de Olivença, GAO
.
A sua leitura está disponível AQUI

Nonas

O Nonas faz hoje anos!
Parabéns!

Mário
-

Penalties nos Porto - Benfica

Crónica de Nenhures

Pobre Direita Pobre
.
Neste ano eleitoral, começa-se pelas Eleições Europeias, com treze listas na ‘corrida’. Destas, apenas duas representam o espaço da Direita. Embora se posicione, não se considera de Direita o PSD, uma excrescência do Marcellismo em 2009.
O PSD, que antes foi PPD e que hoje deveria ser ANP-PPD-PSD, é um partido de interesses e, tal como o Marcellismo, sem alma. É preciso não esquecer que foi a dita Ala Liberal do Marcellismo que o pariu, ao o fundar e nele integrar o aparelho local e nacional da Acção Nacional Popular, o partido único que Marcello Caetano criou à sua imagem e semelhança.
Assim sendo, ‘resta’ o Centro Democrático e Social, o Partido Nacional Renovador e o Partido da Nova Democracia. Contudo, o PND não se apresenta às eleições, o que reduz o leque das escolhas às tais duas que acima referimos.
É evidente que a maioria do Povo da Direita vota no ANP-PPD-PSD. Assim tem acontecido nesta Terceira República, e nada indica que algo mude. A outra parte, minoritária, tem dado o seu voto ao CDS, fazendo com que em 2004, nas últimas eleições para o Parlamento Europeu, este tivesse elegido dois eurodeputados, cujo nome e actuação hoje ninguém recorda.
É curioso que o ANP-PPD-PSD se diga social-democrata em Portugal, e depois no Parlamento Europeu esteja integrado na família política do principal partido da Direita, o Partido Popular Europeu, PPE.
Também no PPE está o CDS, em coerência ideológica. Porém, o PPE defende o Federalismo, e o CDS não. Mas o ANP-PPD-PSD é federalista!
É nesta ‘confusão’ que estes dois partidos, quer o PSD, quer o CDS, se apresentam ao eleitorado português. Se CDS e PSD integram o PPE, porque é que em Portugal concorrem em listas separadas? Se depois em Estrasburgo estão juntos na bancada parlamentar do PPE, porquê este ‘separar de águas’?
É um facto que o CDS não é federalista nem defende a entrada da Turquia na União Europeia, ao contrário do PSD. Mas em Estrasburgo não pode votar a favor do que defende em Portugal. A disciplina de voto do PPE assim o obriga, e se a não cumprir é expulso.
Desta forma, é a candidatura de Humberto Nuno de Oliveira que melhor representa os interesses da Direita portuguesa, nas próximas Eleições Europeias.
Mário Casa Nova Martins

Leilão

Lisboa – 26 e 27 de Maio de 2009 – 21:30
.
Tem este Leilão como tema forte uma Colecção de Livros de Viagens. E o Catálogo é elaborado por José Vicente, Olisipo.

segunda-feira, maio 18, 2009

Feira do Livro

Terminou ontem a “nova” Feira do Livro de Lisboa. E realmente para nós foi “nova”. É que pela primeira vez não comprámos nada nos Alfarrabistas!
Achámos a Feira muito fraca em termos de “fundos de catálogo”. Os novos stands eram mais pequenos que os anteriores, tal como a sua área de exposição. Assim, os Editores e Livreiros apenas trouxeram as “novidades” e o que é mais “vendável”. Ficou a perder quem nestas ocasiões procura o que ao longo do ano não encontra nas Livrarias.
Nos Alfarrabistas, quase tudo a 5 €, e que se encontra na Feira da Ladra a 1 € ou a 50 cêntimos. Apenas “lixo”!
Desta forma, aproveitámos para completar a «Etnografia» de José Leite Vasconcellos, pôr “em dia” a «Portugaliae Monumenta Misericordiarum», trazer os volumes já editados da «História e Antologia da Literatura Portuguesa», e pouco mais.
O dia esteve óptimo, e o almoço, na própria Feira, foi bom.
Mário

Sport Lisboa e Benfica

Não há “milagres grátis”
.
Há dias assim. Ontem, o comentador da RTP1 por mais de uma vez questionou a arbitragem em lances em que foi decidido contra o Sport Lisboa e Benfica. O comentador não entendia aquelas decisões, e com fino humor dizia que altos dirigentes da arbitragem talvez pudessem explicar. Hoje sabe-se que o treinador do SLB foi expulso por indicação de um árbitro que tem sido protagonista como advogado de defesa de alguns arguidos do processo Apito Dourado.

Que a arbitragem não sirva de desculpa para o terceiro lugar alcançado pelo SLB na presente época na Liga Sagres! Erros, que começam com uma má planificação da época, e mais erros, como o afastamento de Diamantino Miranda, estão na base do fracasso desportivo. Mas o maior dos erros é a falta de liderança patenteada pela Direcção do Sport Lisboa e Benfica!
Ontem foi confrangedor ver a falta de apoio ao treinador, no momento da expulsão, por parte de Shéu Han. Este funcionário está há demasiado tempo no SLB. Tudo passa com o tempo, mas este funcionário parece “intocável”. Mesmo sabendo-se da frágil situação de Quique Flores na Instituição, não foi correcto a manifesta falta de solidariedade naquele penoso momento, e se tal aconteceu foi porque as injustiças eram demasiado evidentes e o treinador pugnou em prol dos interesses da Equipa e do Clube. São situações como esta, e que se repetem amiúde, que fazem com que o fracasso desportivo seja também humano.
Ontem o SLB mostrou ser uma equipa. Mereceu a sorte do jogo, quanto em tantos outros esta lhe faltou. O seu treinador mostrou conhecer o adversário, e provou saber melhor colocar em jogo a sua estratégia que o treinador adversário a dele. Neste jogo, tal como na primeira volta com este mesmo adversário, venceu claramente o treinador do Sport Lisboa e Benfica.

A descrença é tanta, que se, por absurdo!, José Mourinho quisesse vir na próxima época treinar o SLB, e trouxesse os jogadores que entendesse, temos a certeza que o Benfica não seria campeão. Seja quem for o treinador para a época 2009 – 2010, seja o plantel que for, o SLB continuará a não conseguir mais do que o mesmo lugar da presente época.
Hoje, é um dado adquirido que o problema do SLB é a falta de liderança. Se nas eleições em Outubro tudo se mantiver como está, o Benfica caminhará a passos largos para o abismo desportivo e financeiro.
Mário

sábado, maio 16, 2009

Bento XVI

A terceira encíclica de Bento XVI, sobre questões sociais, deverá ser apresentada a 29 de Junho, revelou o presidente do Conselho Pontifício Justiça e Paz (CPJP), Cardeal Renato Raffaele Martino.
“Creio e prevejo para 29 de Junho, festa de São Pedro e São Paulo, a data final” para a publicação do documento pontifício, disse. O Cardeal falava durante um congresso sobre globalização, na Universidade Pontifícia Gregoriana, de Roma.
A encíclica “Caritas in veritate”, ou seja “A Caridade na Verdade”, deverá retomar reflexões das encíclicas “Populorum Progressio”, de Paulo VI, e “Sollicitudo rei socialis” de João Paulo II.
Segundo a Rádio Vaticano, o actual Papa manifestará a necessidade de potencializar um humanismo que concilie o desenvolvimento social e económico com o respeito pelo ser humano, e que diminua as diferenças entre ricos e pobres.
Fala-se desta encíclica desde 2007, mas a sua publicação atrasou-se por dois motivos principais: por questões de tradução, já que o texto sairá também em chinês, e devido à recente crise económica internacional.
As outras duas encíclicas de Bento XVI são “Deus caritas est”, de 2006, e “Spe salvi”, de 2007.
*

sexta-feira, maio 15, 2009

Desabafos

A História lembra que Jesus foi crucificado em Jerusalém. Foi o Sinédrio que o condenou à morte, e o ocupante Romano que assumiu o processo da execução. O sinédrio era o conselho de juízes, uma espécie de corte suprema, que operava em Israel por volta da época de Jesus. O Evangelho diz que foi esse o grupo que levou Jesus a julgamento. A sentença de morte de Cristo foi decidida pelo Sinédrio (Mt 26:66) e homologada por Roma.
O papa Bento XVI visitou nestes dias os Lugares Santos no Médio Oriente.
Mas o momento que fica para a História, é quando afirma que o Povo Palestiniano tem direito a uma Pátria, tal como Israel.
É preciso não deixar esquecer que a Palestina continua a ser vítima de Israel. Ocupada e cercada, não é possível assim a sua existência. Privada de ajuda do exterior, devido ao bloqueio por terra e mar imposto por Israel, a esperança de vida do Povo Palestiniano é cada vez menor. Pobreza, miséria e doença é uma trilogia que consume as vidas e o espírito em Terras da Palestina. E o papa Bento XVI mostrou ser sensível à condição sub-humana em que se transformou o Viver naquela Terra Bíblica.
Este permanente Holocausto de Almas e de Gentes Palestinianas tem que terminar. O Mundo tem que exigir a Paz para esta Região. Israel e a Palestina têm que ser Nações livres e justas. Jerusalém tem que ser a Capital de dois Estados, Palestina e Israel. Assim a História o exige.
Há dois mil anos, os Judeus condenaram à morte Jesus. Hoje não podem fazer o mesmo ao Povo Palestiniano.
in, Rádio Portalegre, Desabafos, 15/05/09
Mário Casa Nova Martins

quinta-feira, maio 14, 2009

Homenagem ao Padre Patrão

Esboço Biográfico
-
Luís Leite Rio
- -

Homenagem ao Padre Patrão

-
-

quarta-feira, maio 13, 2009

Homenagem ao Padre Patrão

-
in, Alto Alentejo
-
-

terça-feira, maio 12, 2009

Crónica de Nenhures

A Europa em debate
.
Ontem, com início às 22:40 na RTP1 e no Museu da Electricidade, teve lugar um debate sobre as Eleições Europeias do próximo dia 7 de Junho. Estiveram presentes os treze cabeças-de-lista de outros tantos partidos e movimentos concorrentes.
Se à partida se afigurava difícil “conciliar” tanta gente e projectos tão diferentes, e com uma moderadora que prima quer pelo politicamente correcto, quer pelo posicionamento “ao lado do mais forte”, no final, pese embora alguns “contratempos”, o “saldo” foi positivo.
Os “contratempos” a que nos referimos prendem-se com as diferenças de tratamento entre moderadora e candidaturas, mas nada que não se esperasse. Ao permitir o diálogo entre os candidatos do “centrão”, impediu que mais ideias pudessem ter sido apresentadas e mais temas abordados.
Vital Moreira (PS), alvo dos mais cerrados ataques, inclusive pessoais, mostrou não estar preparado para uma campanha em que “vale tudo”. É indiscutivelmente um “candidato de salão”.
Paulo Rangel (PSD) é um bom tribuno, mas “abusa” da politiquice. Um verdadeiro “PPD”, ou não fosse da confiança política da actual líder, ambos “produto” de um certo Cavaquistão, num tempo de serôdio Cavaquismo.
Ilda Figueiredo (PCP) sabe o que diz, o que quer e por onde caminha. Porém, não é um “papagaio”, ou uma “cassete”, “produto” este tão “querido” dos e aos comunistas. As propostas que defende, concorde-se ou não com elas, são fundamentadas.
Nuno Melo (CDS) é um excelente político, sempre bem preparado. Por mais de uma vez assumiu ser contra a entrada da Turquia na União Europeia, sendo-lhe porém impedido de mostrar os argumentos de tal tese, mas tal também não foi novidade, sendo quem foi a moderadora.
Miguel Portas (BE) não trouxe nada ao debate. Este é um caso em que a falta de jeito para a política é uma evidência. Ocupa os lugares políticos que ocupa porque é “inofensivo” para o líder, e porque tem pedigree, seja lá o que “isso” quer dizer ou signifique.
Humberto Nuno de Oliveira (PNR) teve oportunidade de expor argumentos, e aproveitou bem a ocasião. Convicto, não deixou de vincar os fundamentos das posições que tem sobre a Europa. Quem o conhece, sabe que age por princípios, quem ontem o ficou a conhecer, viu um cidadão que faz da política um acto de Cidadania permanente.
Laurinda Alves (MEP), a dada altura, falou do Cosmos. As suas intervenções foram sempre num sentido cósmico, em que Humanismo e Personalismo se entrecruzavam. Uma Senhora com uma vida, quiçá, extraterrestre. Curioso!
Orlando Alves (PCTP-MRPP) utilizou casos concretos para mostrar o seu desacordo face à actual União Europeia, mas afirmando que o país deve continuar na EU.
Luís Guerra (PH) não conseguiu ser uma alternativa ao status quo do discurso político, com se quis apresentar. Não conseguiu passar a mensagem que certamente gostaria.
Pedro Quartin Graça (MPT) introduziu a ecologia no debate, mas sem grande sucesso. O que é pena, dada a importância que este tema tem nos dias de hoje.
Carlos Gomes (MMS) mostrou ser um europeu convicto, mas nada trouxe de novo à discussão. O facto de viver em Paris e viajar muito pelos países do sul da Europa, diz dar-lhe um conhecimento maior dos problemas europeus.
Frederico Duarte Carvalho (PPM) teve as intervenções mais acaloradas da noite. Muito interventivo, defendeu a sua “dama”, a Monarquia. Não é, certamente tal, o que a Europa e Portugal precisem neste momento. Esforçado.
Carmelinda Pereira (POUS) é uma “sobrevivente” de um tempo e de uma política que hoje é só passado. Quando aparece, sente-se no ar um ar démodé, de déjà vue. Hoje Carmelinda Pereira não oferece “perigo”. As suas ideias são as mesmas de quando “menina e moça”. E que falharam, como as de Ilda Figueiredo e Miguel Portas, que com Carmelinda Pereira são aqui os representantes de uma extrema-esquerda com implantação em Portugal.
Realce para as críticas ao Tratado de Lisboa, feitas por todos os candidatos, à excepção, claro e clara, dos candidatos do “centrão” Vital Moreira e Paulo Rangel.

No próximo acto eleitoral de 7 de Junho, o grande vencedor vai ser a abstenção. À Direita, continuamos a afirmar que os nomes de Humberto Nuno de Oliveira e Nuno Melo são quem melhor representa os diferentes pensamentos desta sobre a Europa. Académico o primeiro, político a tempo inteiro o segundo, os dois têm visões distintas sobre a União Europeia. Mas os pontos de vista que têm em comum são fortes, como é o caso da não entrada da Turquia na EU. O que se saúda.
Nuno Melo e Humberto Nuno de Oliveira têm que saber aproveitar os media para fazerem passar as suas mensagens. Ontem conseguiram-no com eficácia.
Mário Casa nova Martins

segunda-feira, maio 11, 2009

Séries de Televisão

_______
Graças ao
Duarte, pude recordar algumas séries televisivas que vi, e que guardo na Memória, tal como muitas outras que aqui não refiro.
Todas já “têm” alguns anos. É que hoje não vejo televisão, à excepção de programas de informação, e algum, pouco porque os tempos não são favoráveis…, para o futebol.
Obrigado, Duarte.
Mário
.
Post Scriptum – Há uma série de TV que me lembro de ver, penso que aos domingos e por volta das seis da tarde, em que as personagens eram bonecos, não desenhos animados. Passava-se debaixo do mar, e utilizavam-se veículos tipo carro-anfíbio. Estaríamos nos inícios dos anos sessenta. Não consigo lembrar o seu nome, e nem por aproximação consigo encontrar alguma referência quer no Google, quer no YouTube.Gostava imenso de recordar mais pormenores, e de a voltar a ver.
M

Sport Lisboa e Benfica

Eleições antecipadas
.
O facto de as eleições no Sport Lisboa e Benfica só se realizaram em Outubro, faz com que a actual Direcção decida ainda contratações de jogadores, equipa técnica e tudo o mais, para a próxima época.
Não seria desvantajoso, ou não traria desvantagens se houvesse estabilidade a todos os níveis no seu “motor” principal, a equipa sénior de futebol. Mas, e tal como vem acontecendo nas últimas épocas, o falhanço desportivo é uma realidade.
Com a actual Direcção, o SLB tem sido “cemitério” de treinadores e de jogadores. Desde que José Veiga saiu, o SLB não consegue uma vitória significativa, porque ganhar o Torneio do Guadiana na época passada e a Taça da Liga nesta, apenas serve para os Benfiquistas sorrirem, mas um sorriso amarelo, e sentirem-se mais frustrados que nunca.
Se a actual Direcção do Sport Lisboa e Benfica colocasse o interesse do Clube acima dos seus interesses pessoais, e face aos continuados insucessos desportivos, mal o SLB terminasse o jogo com «Os Belenenses», avançaria de imediato com um calendário eleitoral, num cenário de eleições antecipadas.
O treinador espanhol ir-se-á embora, há jogadores que manifestam, nas actuais circunstâncias, vontade de sair, Nuno Gomes não deve renovar como jogador, Rui Costa é tão responsável pelos insucessos como a Direcção que o escolheu e nomeou. Enfim, existem decisões que agora tomadas “obrigam”, comprometem a futura Direcção, que vai sair das eleições de Outubro. Se o final do actual mandato é em Outubro, a situação económico-financeira e desportiva do SLB, mais do que justifica a antecipação do processo eleitoral.
Contratar Jorge Jesus, ou Luiz Filipe Scolari, ou outro como treinador, deixar sair Katsouranis, que ainda tem um ano de contracto, “oferecer” Luisão, ou Cardozo, ou outro jogador a outros clubes, nomear o Director Desportivo, contratar novos jogadores, não renovar com Nuno Gomes, melhorar contractos aos que se mostraram verdadeiros profissionais, deve ser trabalho, tarefa para quem vencer as eleições, que para o bem do Sport Lisboa e Benfica têm que ser antecipadas!
Mário

Duarte Branquinho

domingo, maio 10, 2009

Mário Silva Freire

.
O SER E O PARECER
.

Falar de educação é sempre falar do País que temos e daquele que desejaríamos ter.
Ora, a educação que temos, especialmente a que se refere à aquisição das competências básicas do cálculo, da leitura, da escrita, dos conhecimentos elementares do que somos como organismo vivo, como nos alimentamos, como respiramos…, mas também daquelas primeiras noções sobre o mundo que nos envolve, plantas, animais, mares, astros…, julgo deixar muito a desejar!
Talvez não seja muito convencional fazerem-se perguntas a uma dúzia de alunos, escolhidos aleatoriamente, sobre o conteúdo dos Programas, à saída de uma qualquer escola básica. Mas seria interessante vermos o resultado de um pequeno questionário referente, por exemplo, a alunos do 8º ano, ou seja, adolescentes já com 8 anos de escolaridade, se lhes perguntássemos:
- quanto é metade de 32?
- se 1 litro de leite custa 80 cêntimos, quanto pagaríamos por 6 litros?
- porque é que nos alimentamos?
- porque é que respiramos?
- quem foi o Infante D. Henrique? e Pedro Álvares Cabral?
- para onde fica o oeste?
- o que é a Estrela Polar?
Igualmente teria interesse saber como é que esses alunos fariam um resumo de uma pequena história que lhes tivesse sido dada para lerem.
Penso que se 10% desses alunos, escolhidos ao acaso, respondessem acertadamente a todas essas questões elementares dos Programas do Ensino Básico, escrevessem um pequeno texto sem erros ortográficos e de sintaxe calamitosos, com as ideias fundamentais expressas no texto, dar-nos íamos por muito satisfeitos! E esta minha opinião não é gratuita mas ela é resultante de um contacto que vou mantendo, regularmente, com adolescentes desses anos de escolaridade.
Várias vezes me pergunto como foi possível chegar-se a este estado de ignorância nos nossos alunos! É claro que vou vislumbrando algumas respostas quando eles me vão dizendo que, em muitas aulas, se faz muita coisa para além do aprender; quando o ambiente de turbulência constante é impeditivo quer da acção do professor com um mínimo de eficácia, quer da acção do aluno que o impede de aprender aquilo que se ensina.
Falta aos nossos alunos a consciencialização daquele princípio de que os actos têm que ter consequências. Eles sabem que, mesmo não trabalhando, vão transitando de ano; mesmo que se comportem incorrectamente para com os professores, nada lhes vai acontecendo; mesmo que algo ocorra dentro da escola que vá contra os seus interesses imediatos, têm os seus pais a fazerem coro com eles contra os professores, o director ou os funcionários.
Não sei se estou a generalizar em função daquilo que vou observando, mas julgo que na nossa escola pública, pelo menos ao nível do ensino básico, existe um clima quer de grande falta de exigência por parte da escola, quer de impunidade pelos actos incorrectos que são cometidos pelos alunos.
Perante este quadro, posso aceitar que os professores estejam desmotivados para procurarem as melhores estratégias para levarem os alunos a interessarem-se pelo que estão a estudar. Mas, a título exemplificativo, não poderia suscitar-se um maior interesse dos alunos se eles aprendessem a localização dos relevos e dos rios em frente de um mapa? Não prestariam eles mais atenção às aulas se as rochas que estão a ser estudadas pudessem ser observadas nas suas próprias mãos, acompanhadas pela explicação do professor? Não haveria um maior interesse pelo que se estuda se houvesse uma simples experiência dentro da sala de aula que ilustrasse a vaporização ou a condensação? A turbulência não seria reduzida se uma simples operação aritmética, que é feita pela máquina de calcular, fosse proposta de modo a incitar o aluno e exercitar os seus mecanismos de cálculo manual e mental? Não haveria mais gosto pela leitura e pela escrita se os alunos vissem na gramática um meio que os ajuda a melhor compreender um texto e a escrevê-lo melhor? Os comportamentos individuais ou generalizados de indisciplina não poderiam ser substituídos por uma discussão cooperativa em torno de temas dados pelos professores se os alunos, na sala de aula, estivessem agrupados em vez de estarem de costas voltadas uns para os outros?
É importante que se faça a avaliação do ensino. Mas ela, parece-me, deveria centrar-se na própria escola. Depois de efectuada esta avaliação que foi determinada para os professores e que tanta polémica tem gerado, pergunto-me:
- nos diferentes departamentos da escola e nas várias disciplinas, os métodos e as técnicas utilizados passarão a ter melhorias significativas?
- os recursos de que se dispõem passarão a ser mais adequadamente utilizados?
- a disciplina dentro e fora da sala de aula melhorará e estará ao serviço de uma aprendizagem eficaz e, em caso negativo, foram identificados os melhores meios para lhe fazer face?
- os professores com dificuldades passaram a ser convenientemente apoiados?
- os métodos de avaliação dos alunos melhoraram, contribuindo para o seu sucesso ou eles tenderão a perpetuar a sua ignorância?
- as estratégias de remediação escolar, de orientação escolar e profissional disponíveis, para os casos de insucesso escolar, passaram a ser convenientemente utilizadas?
Pode ser importante o alargamento da escolaridade obrigatória até ao 12º ano. Mas ela, na verdade, só terá um verdadeiro impacto no crescimento pessoal das pessoas e no desenvolvimento do País se corresponder a um autêntico acréscimo de saber e de competências. Se é só para constar nas estatísticas da União Europeia e no Conselho da Europa, então, mantenha-se a escolaridade que temos e façamos tudo para lhe dar conteúdo, eficácia e exigência. Sairá mais barato e será mais profícuo.
Mário Freire

sábado, maio 09, 2009

José Dias Heitor Patrão

Hoje, a Homenagem!
Mário

sexta-feira, maio 08, 2009

Desabafos

No passado domingo dia 3 de Maio, celebrou o seu octogésimo aniversário o reverendo padre dr. José Dias Heitor Patrão. Amanhã, sábado dia 9, será o padre Patrão alvo de justa quanto sincera Homenagem em Portalegre.
Uma sessão solene no auditório do edifício da Câmara Municipal, depois uma missa na sé catedral e por fim um jantar, compõem as festividades. Na sessão na antiga igreja dos Jesuítas, será entregue aos presentes um pequeno livro sobre o padre Patrão, da autoria do dr. António Martinó de Azevedo Coutinho, que retrata fielmente a figura do Homenageado. Sabe-se, também, que, por deliberação camarária, as Câmaras do Gavião, a sua terra natal, e de Portalegre, a terra de adopção, vão conceder a Medalha do Concelho a esta figura da igreja da diocese de Portalegre – Castelo Branco.
Muito poderíamos falar do convívio de dezenas de anos que mantemos com o padre Patrão. Uma amizade profunda, um respeito permanente, são a base desta relação que começou enquanto Professor e Aluno no então Liceu Nacional de Portalegre.
Mas neste momento, o mais importante é realçar a Pessoa e o Homem. De uma cultura acima da média, grande conhecer da História da Arte, um domínio pleno em Arte Sacra e com obra publicada sobre esta temática, hoje o padre Patrão mantém intactos todos os prazeres e sentidos quando celebra os seus oitenta anos.
Muito tem ainda a esperar do padre Patrão a Comunidade em que ele se movimenta e envolve. Sabemos que está Feliz, e queremos transpor no dia de amanhã toda essa Felicidade do padre Patrão para a Festa que se vai celebrar.
in, Rádio Portalegre, Desabafos, 08/05/09
Mário Casa Nova Martins

quarta-feira, maio 06, 2009

Sport Lisboa e Benfica

Calvário
.
Ser-se “profeta” em futebol é “dramático”! Mas quando em 2 de Dezembro de 2008 vaticinámos que o Sport Lisboa e Benfica iria lutar “renhidamente” pelo terceiro lugar na Liga Sagres, não era da nossa parte bluff, mas um sentir de frustração que já então vivíamos e que o tempo nos veio dar plena razão.
Todavia, em relação ao que então escrevemos temos que fazer um mea culpa. Com o tempo, e depois de debeladas sucessivas lesões, José Antonio Reyes mostrou ser influente na equipa, com uma qualidade futebolística acima da média.

Mas hoje mantemos que Quique Flores deve ficar até ao final da época e que Nuno Gomes não deve renovar o contrato com o Sport Lisboa e Benfica. Nuno Gomes tem que sair do SLB no final da época.
O então já conhecido empate em Coimbra do seu principal competidor pelo segundo lugar antes do jogo no Funchal começar, o que “encurtaria” para dois pontos a distância entre segundo e terceiro com três jogos ainda por disputar, não foi elixir suficiente para galvanizar a equipa para uma vitória justa e “suada”. A derrota na ilha da Madeira é assim ainda mais preocupante face ao que ainda falta jogar até ao final do campeontao, pela desmotivação que mostra, mais do que desinspiração.
Vão ser um “calvário” os três jogos restantes.
Mário Casa Nova Martins

segunda-feira, maio 04, 2009

Hugo Pratt

.
.

domingo, maio 03, 2009

Dia da Mãe

3 de Maio de 2009
.
À minha Mãe
.
A todas as Mães
.
Mário

sexta-feira, maio 01, 2009

Desabafos

Às zero horas de hoje, sexta-feira, iniciou-se a Serenata Monumental nas escadas da Sé Velha de Coimbra. Com esse acto, deu-se início à Queima das Fitas de 2009.
A Queima das Fitas é a festa maior dos Estudantes de Coimbra. E fica na memória de todos os que em Coimbra estudaram na sua Universidade. São anos irrepetíveis, e quem se identifica com a vida da Academia, nunca mais esquece aquele tempo.
Diz a história que neste ano se celebram os 110 anos desta Festa dos Estudantes da Universidade de Coimbra. Passou por várias fases a Queima das Fitas, e também por períodos em que não se realizou. O último interregno terminou informalmente no ano de 1979, quando se teve lugar entre 2 e 10 de Junho a denominada Semana Académica, e formalmente em 1980, quando entre 23 e 28 de Maio se realizou a Queima das Fitas na sua versão actual e assumindo toda a Tradição e Luta Académica.
Hoje, em 2009, os tempos são outros. A Queima das Fitas foi acompanhando a evolução da sociedade, e só assim poderia ter a provecta idade de um século e uma década. Hoje não tem o cunho de 1980, quando foi preciso lutar contra a intolerância de um grupo antidemocrático que queria impedir que a vontade da grande maioria dos Estudantes em restaurar a Praxe Académica e realizar a Queima das fitas fosse uma realidade, que, inclusive, a Associação dos Antigos Estudantes de Coimbra apoiava, bem como toda a Cidade de Coimbra.
Hoje, a Queima das Fitas é uma verdadeira Festa. E assim deve continuar a ser!
in, Rádio Portalegre, Desabafos, 01/05/09
Mário Casa Nova Martins

Queima das Fitas


.
Balada de Despedida 6º ano médico
2008 Coimbra

Free web page counter