\ A VOZ PORTALEGRENSE: Janeiro 2009

sábado, janeiro 31, 2009

Corto Maltese

No segundo volume da meribérica/liber de Os Escorpiões do Deserto, no episódio O Anjo da Morte, lê-se, nas palavras de Cush, que a última vez que Corto Maltese foi visto, fora na Guerra Civil de Espanha.
Em Julho de 1936 começa a Guerra Civil de Espanha, que durará até Maio de 1939. Corto Maltese alista-se nas Brigadas Internacionais. Pratt precisou que ele tinha combatido em companhia de John Cornford [filho da poetisa inglesa Frances Crofts Cornford, que era filha de Charles Darwin], que foi morto em Espanha. Depois, e parece que até Pratt, perde-se a pista de Corto Maltese.
O diálogo entre Cush e Stella passa-se a 20 de Janeiro de 1941, no desfiladeiro de Keru. Soube-se também que Corto enviou de Espanha para Cush um falcão Al-Andaluz.

Mas de acordo com uma carta* enviada a Hugo Pratt por Obregan Carrenza, datada de 16 de Junho de 1965 e enviada de Viña del Mar, Chile, Corto vivera junto de Pandora e dos Filhos, não tendo, portanto, morrido ou desaparecido em Espanha.
A referência à presença de Corto está numa carta escrita por Pandora, mas desconhece-se a data em que foi escrita.
Pela carta sabe-se que Corto e Tarao, idosos, estão vivos, junto de Pandora, e que são considerados pelas suas crianças como tios. Quando Tarao morreu, Corto ficou muito abatido e a última imagem que nos chega dele é pungente, é a de um velho homem sentado “sozinho no jardim, com o olhar apagado, frente ao mar”.
_
* Corto Maltese – A Balada do Mar Salgado – meribérica/liber, página 36
.
_______
Mário Casa Nova Martins
....

Pandora Groovesnore

Pandora Groovesnore, in As Mulheres de Corto Maltese - meribérica/liber
.
Corto vê Pandora pela primeira vez. Pandora irá seduzir Corto, em “troca” da liberdade dela e de Cain, o irmão. Corto “desmascara” o complot. *
.
Os Olhos Azuis de Pandora! *
.
O Beijo! *
.

Pandora vai apaixonar-se pelo Tenente Slütter. Momentos antes de Slütter ser fuzilado, Pandora vê-o pela última vez, e beijam-se. *
_______
* in, Corto Maltese – A Balada do Mar Salgado – meribérica/liber
_______
Mário Casa Nova Martins

Eternas Saudades do Futuro

Mas fico-lhe agradecido por falar de mim na sua Casa.
Obrigado.
Abraço.
Mário

Biblioteca Municipal de Portalegre

TERÇA-FEIRA 3 DE FEVEREIRO
Nome do Evento: “Corto Maltese, o último aventureiro?
Tipo: Exposição
Texto descritivo: Corto Maltese é uma personagem de banda desenhada criado por Hugo Pratt, um marinheiro da Marinha Mercante que viaja por todo o mundo no início do século XX. Corto viaja pelo Pacífico Sul, passa por Veneza, pela América do Sul, pela Sibéria e por muitos outros locais. Por cada local por onde passa, encontra sempre alguém conhecido, participa numa nova aventura e conhece uma nova mulher, quase sempre misteriosa e/ou fatal.
Nas suas aventuras cheias de referências, Corto cruzou com personagens históricos reais
como o escritor Jack London, o fora-da-lei Butch Cassidy, o piloto alemão Barão Vermelho, e muitos outros. Inúmeras vezes, o parceiro de viagens de Corto foi Rasputin, um sociopata russo.
(Wikipedia)

Apresentamos aqui uma mostra do seu mundo, suas aventuras, palavras, imagens e até das leituras que o “influenciaram”…
Onde:
Átrio/Recepção da Biblioteca Municipal
Quando: 10.30h (durante todo o mês de Fevereiro)
_______
SÁBADO 28 DE FEVEREIRO
Nome do Evento: “Corto Maltese, o último aventureiro?
Tipo: Conversa/debate
Texto descritivo: Filho natural de uma cigana andaluza e de um marinheiro inglês, leitor de Joseph Conrad, R. Louis Stevenson, Herman Melville, Jack London, Corto Maltese vive o seu mundo de aventuras pela criação de Hugo Pratt, poeta, contador, mágico, ou na expressão de Alberto Ongaro, o “Orson Welles da BD”.

.
Para conversar um pouco sobre tudo isto, convidamos todos os fãs de Corto e não só…
Onde: Sala Polivalente/Biblioteca Municipal
Quando: 16.30h
_______
Biblioteca Municipal de Portalegre
Rua de Elvas
7370-147 Portalegre
Telef.: 245.307.520
Fax: 245.203.011
http://biblioteca.cm-portalegre.pt
e-mail:
biblioteca@cm-portalegre.pt

Corto Maltese


sexta-feira, janeiro 30, 2009

Crónica de Nenhures

Um Partido sem Futuro
.
Quando se esperaria o “bom senso” de um “fechar a porta”, o Partido da Nova Democracia, pensou o contrário e realiza o seu 4.º Congresso, onde vai discutir a mudança do símbolo e a estratégia para os próximos actos eleitorais, e a eleição de um novo Presidente, já que o anterior, perante tantos descalabros eleitorais saiu, e da nova Direcção.
“Entalado” entre o PNR e o CDS, o PND nunca se conseguiu afirmar eleitoralmente. O seu “nascimento” foi o de um “nado morto”. O PND surge não por razões de natureza ideológica, mas sim pessoais. A guerra fratricida, para a Direita, entre Manuel Monteiro, a “criatura”, e Paulo Portas, o “criador”, “abortou” uma esperança de uma Direita nova, por que renascida. Desta luta, ninguém ganhou!
Com uma ideologia forte, o PNR está implantado na sociedade civil e vem paulatinamente a crescer em número de votos. O CDS, no fundo mantendo a matriz Democrata-Cristã, consegue ter uma representação política que o torna forte, sendo uma força importante à Direita em Portugal. No “meio” está o PND, que não tem uma ideologia definida, “vogando” muitas vezes ao sabor da “moda” no momento.
Mas, que fique bem claro. Se a Direita pode “dispensar” o PND enquanto partido político, jamais poderá de deixar de contar com o Pensamento e a Acção de muitos militantes e simpatizantes do PND! O PND não tem futuro na qualidade de partido político, mas poderá, devia!, ser um Grupo, ou Clube de Reflexão Política.
A Direita em Portugal não tem quem a pense. Por exemplo, o “fim” inglório da revista “Futuro Presente”, tal como da “Atlântico”, empobreceram o Pensamento, plural, da Direita portuguesa.
Mário Casa Nova Martins

Desabafos

Sempre se tem dito que a Ciência é “parente pobre” em Portugal. É verdade que o investimento na investigação científica é um investimento dispendioso e os resultados, quando alcançados, demoram sempre tempo a surgir.
Todavia, o facto do investimento na Ciência ser caro e nem sempre se obter o resultado final, não pode nem deve ser impeditivo de um País, no caso presente, o de Portugal, fazer avultadas aplicações humanas e financeiras na Ciência, mesmo em tempo de grave crise económica, como no presente. Quando se trabalha na área do conhecimento científico, está-se a preparar o Futuro, isto é, a permitir que as gerações futuras tenham uma qualidade de vida superior à das gerações que as antecederam.
Na última década em Portugal, o número de investigadores a tempo inteiro duplicou. Este dado significa que por cada mil pessoas a trabalhar, há cinco investigadores a tempo inteiro, valor que se aproxima da média da União Europeia, que é de 5,5 por mil.
Hoje, Portugal situa-se no 19.º lugar de um ranking de países com capacidade inovadora, e nesta posição considera-se que integra o conjunto de países moderadamente inovadores.
Portugal está no bom caminho. Não haja a menor dúvida que aqueles países que não investirem na Ciência ficam para trás no desenvolvimento científico, perdendo em todos os sentidos face à agressividade da Globalização. Investir na Ciência é criar os empregos de amanhã, em áreas denominadas de ponta, de modernidade, factor de progresso científico e humano.
in, Rádio Portalegre, Desabafos, 30/01/09
Mário Casa Nova Martins

Manlius

O último defensor do Capitólio ... mas posteriormente atirado da rocha tarpeia
*****
Está de Parabéns esta Casa de Portugalidade!
Na data do Segundo Aniversário, saudamos Quem a constrói com Patriotismo e Saber Histórico.
Parabéns, José Carlos.

Mário

quinta-feira, janeiro 29, 2009

Crónica de Nenhures

Boa Nova
.
Confirmando-se as notícias segundo as quais há novos desenvolvimentos na querela entre o Vaticano e a Fraternidade Sacerdotal São Pio X, só pode ser uma Boa Nova.
Já com João Paulo II aconteceram tentativas de aproximação, e os sectores progressistas inviabilizaram todas as iniciativas. Mas tem sido com Bento XVI que passos sérios vão sendo dados para a total conclusão deste caso que foi altamente mediatizado.
O fim da excomunhão dos quatro Bispos da Fraternidade é um “passo de gigante”, dado no sentido de fortalecer a Igreja Católica. Este facto, que “desagrada” àqueles que viam nesta ruptura um sinal de “progresso”, tem que ser visto como uma batalha ganha pela Evangelização principalmente da Europa, lugar onde a Fraternidade tem forte apoio e onde a falta de vocações é mais sentida.
E, se se confirmar que a Fraternidade Sacerdotal São Pio X será uma Prelatura Pessoal, como já é a Opus Dei, então a Memória de Marcel Lefèbvre será Glorificada.
A Igreja Católica tem que ser uma Igreja Viva, e, sê-la, obriga a que acolha todos os que nela queiram estar com Fé. A Fraternidade Sacerdotal São Pio X, neste Mundo cada vez mais materialista e agnóstico, é um Bem que urge preservar.
Mário Casa Nova Martins

Marcel Lefèbvre

Papa deve aceitar integristas que não acatam Vaticano II
.
O Papa Bento XVI já tinha dado passos na aproximação à Fraternidade, logo a seguir a ter sido eleito, em 2005
.
António Marujo
.
Muitos católicos pensarão que não havia necessidade, mas pelos vistos a decisão está tomada: o Papa Bento XVI decidiu anular a excomunhão automática que pendia sobre quatro bispos ordenados em 1998 pelo então arcebispo Marcel Lefébvre, que fundou o grupo integrista Fraternidade Sacerdotal S. Pio X.
A notícia foi avançada anteontem no diário italiano Il Giornale e até à tarde de ontem não foi confirmada nem desmentida pelo Vaticano. O texto de Andrea Tornielli, considerado bem informado na matéria, acrescentava que o decreto está assinado e será tornado público nos próximos dias - a agência AFP dizia que poderia acontecer já hoje.
Lefébvre morreu em 1991, mas, em 1988, tinha sido objecto de excomunhão automática por João Paulo II, por ter ordenado os quatro bispos sem autorização da Santa Sé. Para Lefébvre, que fora missionário no Senegal e arcebispo de Dacar, algumas das mais importantes reformas do Concilio Vaticano II (1962-65) eram inconcebíveis: o abandono da missa em latim, a promoção do diálogo ecuménico com protestantes e ortodoxos, ou o diálogo inter-religioso.
Os quatro bispos que agora poderão ser reintegrados na Igreja Católica são os franceses Bernard Fellay, líder da Fraternidade, e Bernard Tissier de Mallerais, o argentino Alfonso de Gallerata e o britânico Richard Williamson, que provocou uma nova polémica, ao afirmar na televisão sueca que não houve câmaras de gás na II Guerra Mundial e que apenas 200 mil a 300 mil judeus terão sido mortos nos campos de concentração nazis.
A Santa Sé teve já vários gestos de aproximação em relação aos integristas. Bento XVI começou por receber o bispo Fellay no Verão de 2005, pouco depois de ter sido eleito como Papa. Em Julho de 2007, autorizou que se pudesse voltar a celebrar a missa segundo o rito tridentino, que tinha sido praticamente abandonado após o Vaticano II.
Em Junho de 2008, o Vaticano renunciou mesmo a exigir aos membros da Fraternidade a aceitação da doutrina conciliar. Foi-lhes pedido apenas que não ponham em causa a autoridade do Papa nem façam declarações emcontradição com a Igreja - ou seja, com a sua hierarquia.
Segundo Il Giornale, o próximo passo poderia ser a concessão do estatuto de prelatura pessoal à Fraternidade Pio X - de que hoje beneficia apenas a Opus Dei. Ou seja, esta dependeria directamente do Papa e do bispo que a preside, não tendo que prestar contas aos bispos locais.
in, 16 . Público . Sábado 24 Janeiro 2009

terça-feira, janeiro 27, 2009

No Ano do 80.º Aniversário de Tintin

*
O extinto semanário «O Independente», por duas vezes ofereceu aos Leitores fascículos, que no total correspondiam a sete aventuras de Tintin, e a que chamou «As Melhores Aventuras de Tintim».
Primeiro, entre 31 de Março de 1995 e 18 de Agosto do mesmo ano, ofereceu vinte e um fascículos, a que corresponderam «As 7 Bolas de Cristal», «O Templo do Sol», «O Segredo do Licorne» e «O Tesouro de Rackham O Terrível».
E no ano de 1997, ofereceu dezasseis fascículos que formaram «No País do Ouro Negro», «Rumo à Lua» e «Explorando a Lua».
Já em acentuada quebra de vendas, «O Independente» terá feito uma edição de poucos milhares de cada conjunto. E, se se acrescentar que muitas colecções ficaram por completar, hoje, por certo, existirá um reduzido número de Tintinófilos que as tem.
Os dois conjuntos são, sem dúvida, “peças de colecção”.
Mário
Capa de um dos fascículos

Universidade de Coimbra

Universidade de Coimbra é a 14.ª mais procurada da Europa
A Universidade de Coimbra (UC) é a 14.ª universidade europeia com maior visibilidade e presença na Internet e a 43.ª do mundo, segundo o mais recente ranking do Intemational Education Directory of Colleges and Universities (4ICU), foi ontem anunciado. O ranking das 200 instituições de ensino superior em todo o mundo mais vistas na Web é estabelecido anualmente pelo 4ICU, com base na popularidade dos seus sites.
A selecção abrange 8750 universidades classificadas em 200 países e é baseada em três indicadores: o page rank, o link rank e o total link popularíty. Os indicadores são retirados dos motores de busca Googie, Yahoo e Alexa, que permitem avaliar a popularidade do website de cada universidade.
Apenas mais uma universidade portuguesa figura nesta lista, a do Porto, colocada em 54.º lugar no top 100 da Europa e em 169.º lugar no top 200 mundial. As universidades europeias mais populares na Web são as de Cambridge e de Oxford (Reino Unido) e a Moscow State University (Rússia). Instituições de ensino superior dos Estados Unidos ocupam os primeiros sete lugares do ranking mundial, encabeçado pelo Massachusetts Institute of Technology.
in, 10 . Público . Sábado 24 Janeiro 2009

segunda-feira, janeiro 26, 2009

éléments

L’empire intérieur de Manoel de Oliveira

Le 11 décembre prochain, le cinéaste portugais Manoel de Oliveira fêtera son centième anniversaire... tout en préparant un prochain film!
Les trois images ci-contre sont extraites du dernier en date, Christophe Colomb. L'énigme, sorti le 3 septembre dernier dans les salles. Un chef-d’oeuvre absolu, sidérant de profondeur et d’originalité, qui démontre que 1’avant-garde est le plus court chemin vers la tradition.
De quoi s’agit-il? D’un couple de Portugais emigre aux États-Unis, Manuel et Silvia, qui, tout au long de leur existence commune, essayent de prouver que Christophe Colomb était portugais. Mais cette enquête historique, qui s’étend sur trois périodes (les années 1940 et 1960, et le début du IIIª millénaire), est aussi une quête spirituelle: une quête de 1’essence même du Portugal et de sa vocation impériale universelle, thème que Manoel de Oliveira avait aborde déjà dans Non ou la vaine gloire de commander (1990).
Ainsi, plan après plan, se compose un blason imperial dont chaque pièce s’impose au spectateur dans une sorte d’évidence héraldique. C’est lá une démarche cinématographique totalement neuve, car elle ne releve ni de l’allégorie, ni même du symbole, mais, répétons-le, de 1’évidence puré et, donc, de la présence. Car ce film est rien moins qu’abstrait.
Manoel de Oliveira porte en effet un regard extraordinairement sensible, mais limpide et sans le moindre tremblement, sur ce Portugal à la fois réel et chimérique, ainsi que sur le couple interprétè par Ricardo Trêpa et Leonor Baldaque (en haut), puis par le cinéaste lui-même et son épouse Maria Isabel (au-dessous).
M M (Michel Marmin)
in, éléments hiver 2009, p. 20

sexta-feira, janeiro 23, 2009

Desabafos

Passou despercebido o décimo aniversário da moeda única europeia, o Euro. Foi no primeiro dia de 1999 que a nova moeda, primeiro sem existência física, se tornou realidade. De facto, o Euro existe na forma de notas e moedas desde 1 de Janeiro de 2002, e como moeda escritural desde 1 de Janeiro de 1999.
Inicialmente foram onze os países que aderiram, mas passada uma década já são dezasseis, e outros querem vir a aderir.
No inicio, países como Portugal, com uma fraca economia, muito dependendo do exterior e com uma moeda, no caso o Escudo, fraca, foi um período difícil, no qual os preços dos bens como que duplicaram, sem que os rendimentos do trabalho ou outros acompanhassem aquela galopante subida.
Hoje, face à gravíssima crise económica, Portugal tem melhores condições de resposta, pelo facto de ter o Euro como moeda.
A fragilidade da economia portuguesa está a sofrer fortemente com a crise, e se a sua moeda fosse o Escudo, esta teria já sofrido históricas desvalorizações. Assim, com o Euro, e com um Euro forte face ao Dólar e à Libra, é mais fácil contrariar os efeitos da recessão que invadiu a União Europeia, e consequentemente Portugal.
Com o Euro, foi possível construir a denominada Zona Euro, um espaço económico que assim faz frente a outros blocos económicos. E quanto mais forte estiver o Euro, mais investimento se fará nesta zona, porque é compensador. A vitalidade da economia da Zona Euro permite que os investidores alcancem mais-valias superiores às que encontram fora dela.
Saúde-se, pois, o sucesso do Euro.
in, Rádio Portalegre, Desabafos, 23/01/09
Mário Casa Nova Martins

quinta-feira, janeiro 22, 2009

Poesia

ISRAEL

Israel,
tienes que aprender otra vez
a construir dioses.
Tú que inventaste el monteísmo
y engendraste a Cristo
pero no lo quisiste (ahí estuviste mal),
tienes que aprender
esto que dicen ahora
tus viejos profetas escondidos:
\"Son dioses todos los hombres de la tierra\"

León Felipe

Crónica de Nenhures

Nas Cladas da Rainha o CDS realizou mais um Congresso. O seu número é irrelevante, como irrelevante foi o mesmo.
As Caldas da Rainha já não são uma estância termal, mas como a cidade fica perto da capital, e é “servida” por auto-estrada, é sempre agradável visitá-la. Por exemplo, na nossa juventude, na época balnear na Nazaré, era sempre “guardada” uma tarde para um passeio às Caldas da Rainha. E por mais de uma vez visitámos o
Museu José Malhoa, ficando sempre fascinados pelas esculturas de Francisco Franco.
Mas, que se saiba, os Congressistas do CDS não foram bem em passeio, e muito menos se preocuparam com museus ou quejandos. Algo mais importante se discutira no Conclave. Bem mais importante!
A hipotética não maioria absoluta do Partido Socialista nas próximas eleições legislativas era o tema “secreto”, que nas entrelinhas foi “servido” não como “aperitivo”, mas como “prato principal”.
Certamente “a bem da Nação”, o CDS não quer, na eventual maioria relativa do PS, que os socialistas façam coligação ou acordo de incidência parlamentar à esquerda. Assim, muito “contrariados”, estão dispostos a fazer o “sacrifício”, com toda a certeza “a bem da Nação”, de, como no tempo de Freitas do Amaral e Amaro da Costa, ou mais recentemente com Manuel Monteiro e Paulo Portas, viabilizaram da forma que o PS entender um Governo minoritário socialista. Tudo “a bem da Nação”, entenda-se!
Evidentemente que nada “disto” foi falado “às claras”, mas a presença do clã Queiró ou de António Lobo Xavier, entre outros “comensais”, significa que o “bolo” é “apetitoso”.
O CDS, sem pudor, abriu a “montra” de oferendas ao PS, ficando agora este, no caso de necessitar, com a possibilidade de escolher o “produto” que mais lhe interessar.
Mário Casa Nova Martins

quarta-feira, janeiro 21, 2009

éléments

Chegou hoje o número correspondente ao Inverno de 2009.
Será uma leitura com agrado e proveito! [mj]

O Diabo

O semanário «O Diabo» era nosso “companheiro” em Coimbra, excepto no período em que esteve proibido, acompanhando-nos então «O Sol». «A Rua» também era nos fazia companhia, evidentemente.
Mas «O Diabo» era um jornal popular, enquanto «A Rua» era um jornal com uma qualidade acima da média. Na época, não havia jornal à esquerda que fosse tão bem feito graficamente e tão forte no conteúdo como «A Rua».
Aqueles eram tempos de Luta. Hoje assim já não é. E não temos memória de quando pela última vez comprássemos «O Diabo».
Agora, graça a
Humberto Nuno de Oliveira, soubemos que «O Diabo» tem um site. Visitámo-lo, e fortes recordações nos chegaram.
Iremos “regressar” à sua leitura.
Mário

João Marchante

Dois anos de Vida, um facto notável.
Há razões para se ter
Eternas Saudades do Futuro!
Parabéns!
O “devoto” visitante,
Mário

terça-feira, janeiro 20, 2009

Crónica de Nenhures

Sombras
.
A Europa, mais do que os Estados Unidos da América, vive este dia com forte intensidade. O “seu candidato” ganhara as eleições presidenciais, e hoje chega-se ao clímax, a sua tomada de posse!
Tem sido assim desde há muito tempo. As eleições presidenciais americanas despertam mais interesse na Europa que nos EUA, principalmente na metade esquerdista do continente europeu.
É caricato quando um candidato do Partido do Elefante ganha. Este é sempre caracterizado pela negativa nos meios de comunicação social, controlados à esquerda. É sempre alguém sem valores, sem princípios, reaccionário na versão marxista, enfim um “fora-de-lei” que o obscurantismo do povo americano erradamente elegeu.
Mas quando o candidato do Partido do Burro é o vencedor, de imediato vem lá a melodia dos “amanhãs que cantam”, do “sol que brilha”, a “inteligência” do povo americano é saudada, os EUA voltam a ser o lugar mais belo do mundo.
É verdade que os dois últimos presidentes americanos eleitos pelo Partido Republicano, os Bush, pai e filho, foram um desastre para a Humanidade. Mas o último presidente eleito do Partido Democrático, Clinton, também não deixou boas recordações.
Hoje a esperança de uma esquerda socializante, estatizante, pacifista, marxista e apoiante das últimas ditaduras comunistas, é tremenda. “Amanhã”, passada a euforia destes momentos de festa, “acordará” para a “realidade”.
A América de Obama é um remake da América de Clinton! E não só pelo facto de estar na Administração Obama a “nata” da Administração Clinton, que na sombra de oito anos esperou pacientemente o “regresso”. Mas principalmente porque os “vícios” da era Clinton estão de volta, vencedores!
O primeiro presidente eleito dos Estados Unidos da América do século XXI não conseguiu construir um team à sua “imagem e semelhança”, aquela que “transpareceu” na campanha eleitoral, uma “imagem” que transmitiu confiança num Futuro melhor para os americanos, uma “semelhança” com o que de bom tem a América Profunda, a Liberdade!
Continua, assim, a era pós-americana.
Mário Casa Nova Martins

segunda-feira, janeiro 19, 2009

Edgar Allan Poe

Edgar Allan Poe
(Boston, 19 de Janeiro de 1809 - Baltimore, 7 de Outubro de 1849)
.
Passa hoje o ducentésimo aniversário do nascimento de Edgar Allan Poe. Queremos lembrar esta data, porque Poe é um dos nossos Autores de Culto.
A sua Obra continua actual, e lamentamos que todos os seus contos não estejam traduzidos para português. Existem inúmeras adaptações, e remakes destas, de contos de Poe ao cinema. O seu génio literário permanece e Poe continua a ser a grande referência para o género que cultivou, o terror.
Mário

Edgar Allan Poe


O Corvo

.

O poema «O Corvo» foi traduzido por Fernando Pessoa.
Encontramos o texto original e a tradução na edição da Hiena.
m

Edgar Allan Poe

LIVROS
*****

Tradução, introdução, cronologia e notas de Helena Barbas

.

Um homem na lua
Revelação magnética
As recordações de Bedloe
O caso do Sr. Valdemar
Morella
Manuscrito achado numa garrafa
Uma descida ao Maelstrom
Ligeia
A sombra
Silêncio
O demónio da perversidade
O retrato oval
O poder da palavra
A ilha da Fada

.
Manuscrito encontrado numa garrafa
O encontro
Berenice
Morella
A queda da Casa de Usher
William Wilson
Os crimes da rua Morgue
Uma descida no Maelstrom
A carta roubada
O coração revelador
Eleonora
O poço e o pêndulo
O escaravelho de ouro
O gato preto
O enterramento prematuro
A caixa oblonga

.
.A esfinge da caveira
O escaravelho de ouro
Silêncio – Uma fábula
A queda da Casa de Usher
Ligeia
O retrato oval
O pipo de «Amontillado»
O poço e o pêndulo
O gato preto
Os crimes da Rue Morgue

.

Ligeia
Morella
O encontro
A máscara da morte vermelha
A sombra
Descida ao Maelström
Ms. encontrado numa garrafa
A queda da Casa de Usher
O poço e o pêndulo

.

Annabel Lee
Ulalume
O corvo

.

MS. Found in a Bottle (1833)
William Wilson (1839)
The Mystery of Marie Rogêt (1842)
The Oblong Box (1844)
The Purloined Letter (1844)

Edgar Allan Poe

CINEMA
*****
Adaptação ao cinema, com Vincent Price
.
Adaptação ao cinema, com Vincent Price
.
Adaptação ao cinema, com Vincent Price
.
Adaptação à televisão

Free web page counter