\ A VOZ PORTALEGRENSE: Jaime Crespo

sábado, outubro 17, 2009

Jaime Crespo

.
Bloco de Esquerda – Núcleo de Nisa
.
Análise aos resultados eleitorais autárquicos
.
A primeira nota que todos aqueles que trabalhamos em prol da candidatura autárquica do Bloco de Esquerda, ao Município de Nisa, aderentes do Bloco, meros simpatizantes ou politicamente independentes, é a assumpção da derrota eleitoral da nossa candidatura.
Fazemo-lo com clareza porque não pertencemos ao grupo dos mágicos políticos que conseguem sempre transformar as mais rotundas derrotas em gloriosas vitórias.
Perdemos porque tivemos menos votos e perdemos porque não conseguimos alcançar o nosso objectivo principal e que nos motivou a todos a dar o melhor de cada um até à exaustão: a eleição de pelo menos um deputado municipal.
Para esta derrota não servem de consolo o sabermos que o Bloco é uma associação política que ainda está a fazer a sua aprendizagem a nível autárquico, nem que a nossa organização foi caótica ou que o núcleo conta com muito poucos aderentes e simpatizantes e até os independentes dispostos a ajudar não foram muitos.
Perdemos porque não conseguimos passar a nossa mensagem política aos munícipes.
Ainda assim conseguimos fixar mais de cem votantes no Bloco, o que não nos chega de conforto.
Mas a Democracia é assim mesmo, escreve-se de umas quantas vitórias e muitas derrotas, ainda assim, por isso é diferente de outros sistemas políticos, os derrotados não perdem os seus direitos de cidadania, nem a liberdade a expressarem a sua opinião.
Como tal, e no exercício da cidadania que a Democracia nos confere, aqui estamos perante todos aqueles com os quais durante a campanha eleitoral fomos estabelecendo laços de confiança, a emitir a nossa avaliação sobre os resultados do passado Domingo.
Vamos fazê-lo no que respeita à Câmara Municipal, pois será a este órgão que caberá dirigir os destinos do Concelho durante os próximos quatro anos.
Conferiu o povo do Concelho de Nisa uma vitória tangencial à CDU, o que não nos impede de dar os parabéns a esta coligação pela vitória obtida, ao atribuir-lhe dois mandatos (incluindo a Presidência da Câmara), foram também atribuídos dois mandatos ao PS e um ao PSD.
Tal como quinze dias antes em eleições Legislativas, também no nosso Concelho, o povo ao retirar cerca de quinhentos votos, um mandato e a maioria absoluta que a CDU detinha, pronunciou-se por um governo concelhio de responsabilidades partilhadas e recusou deixar o seu destino nas mãos de uma só força política, ao distribuir votos e mandatos do modo como o fez.
Assim, o Bloco de Esquerda – Núcleo de Nisa, pede que a vontade manifesta em consciência e liberdade pelo povo no passado Domingo seja respeitada e cá estaremos com as nossas forças para nos opormos a quaisquer acordos que se venham a estabelecer agora para contrariar a vontade expressa do povo e arranjar uma maioria absoluta falsa que permita na prática a que a CDU volte a governar o Concelho a seu bel-prazer, como aliás já aconteceu em mandatos anteriores tendo "comprado" algum ingénuo vereador da oposição.
Através dos votos o povo do Concelho expressou claramente a sua vontade de que o Concelho seja gerido através de acordos ponto a ponto e caso a caso entre os vereadores agora eleitos, pelo que a união de forças contrariando essa vontade será em nossa opinião uma traição ao voto consciente e livre do povo.
Jaime Crespo
Núcleo do Bloco de Esquerda de Nisa

Free web page counter