\ A VOZ PORTALEGRENSE: Casa do Gaiato

segunda-feira, agosto 17, 2009

Casa do Gaiato

PRÉMIO GULBENKIAN DA EDUCAÇÃO 2009
.
NO passado dia 20 de Julho de 2009 o anfiteatro ao ar livre da Fundação Gulbenkian foi pequeno para receber gente ilustre da sociedade portuguesa representando os mais variados quadrantes da política, da economia e das artes. Tratava-se da cerimónia de entrega do Prémio Internacional Calouste Gulbenkian e dos Prémios Gulbenkian – Arte, Beneficência, Ciência e Educação. A Cerimónia foi presidida pelo Conselho de Administração da Fundação Calouste Gulbenkian. Várias Instituições foram galardoadas. A Obra da Rua ou Obra do Padre Américo e a Fundação para o Desenvolvimento Comunitário de Alverca ganharam, ex aequo, o Prémio Gulbenkian Educação 2009. As distinções foram entregues durante a cerimónia juntamente com um Prémio de 50 mil euros repartido. O Júri previamente constituído, debruçou-se sobre a longa história e experiência do projecto educativo do Padre Américo posto em prática nas Casas do Gaiato, não tendo dificuldade em eleger a Obra da Rua como merecedora do Prémio Educação. Trata-se de um Projecto Educativo consolidado, com resultados cientificamente comprovados em abundantes estudos de alto nível académico, na recuperação de crianças desprovidas de meio familiar normal e de jovens em risco.
Na recepção do referido galardão estivemos nós, dois representantes dos Conselhos Pedagógicos e um representante das Associações dos Antigos Gaiatos. Na altura própria agradecemos ao Magnífico Júri, recebendo das mãos do Presidente da Fundação o respectivo galardão que dedicamos ao Pai Américo, em primeiro lugar, citando dois textos da Conferência Episcopal Portuguesa por ocasião do centenário do seu nascimento e do cinquentenário da sua morte: “O Padre Américo, pelo que foi, pelo que fez, e pela Obra que realizou e que perdura em favor dos mais protegidos da nossa sociedade, foi um homem que deixou mais rico Portugal.” “A Obra da Rua é uma jóia da Igreja em Portugal...” O referido Prémio foi também dedicado à família das Casas do Gaiato que ao longo dos tempos têm sido uma mais-valia de cidadania na sociedade portuguesa e pelo mundo além. O Prémio foi, finalmente, dedicado à multidão anónima de amigos e admiradores que continuam a ser o suporte da Obra da Rua no tempo e no espaço.
Um Prémio justo que, citando Manuel António, um antigo gaiato de Paço de Sousa, assim o considerou com o seu próprio testemunho pessoal: “Vale mais tarde que nunca! Como antigo gaiato (e sempre gaiato, digo eu, apesar dos quase 60 anos, pois não seria o cidadão inquieto e socialmente integrado que hoje sou – quadro superior de reconhecido mérito na EDP até ter optado Março último passar à situação de pré-reforma –, se não tivesse sido educado na Casa do Gaiato, ainda hoje a minha família de referência, se tivesse continuado um pequeno vadio das ruas do meu Porto, cidade que trago na memória apesar da vida me ter empurrado para Lisboa), rejubilo e fico feliz com este prémio Gulbenkian Educação, que embora tardiamente, reconhece o trabalho da Obra da Rua em prol das crianças mais carenciadas e da actualidade da pedagogia pró-activa do nosso Pai Américo que faz do Rapaz o próprio sujeito da sua educação. Lamento apenas que a comunicação social, tão célere em notícias de forma sensacionalista pseudo-erros ocorridos na Casa do Gaiato, seja tão envergonhada e discreta em noticiar a atribuição deste prémio Gulbenkian da Educação!”
-

Free web page counter