\ A VOZ PORTALEGRENSE: Desabafos

sexta-feira, abril 18, 2008

Desabafos

A cidade e o concelho de Portalegre atravessam a maior crise da sua história. Falências em todos os sectores da actividade económica marcam os anos mais recentes. Uma outrora próspera cidade industrial, com indústrias que iam dos têxteis à panificação, vê-se hoje na mais completa indigência económica.
Depois do fim da centenária indústria têxtil, em breve assistir-se-á ao fim da indústria corticeira, as mais tradicionais e antigas, enquanto uma outra que era “cartão de visita” também vai encerrar.
A
Manufactura de Tapeçarias de Portalegre tornara-se conhecida em todo o mundo. A sua qualidade de fabrico era factor de vendas. A aposta em nomes de artistas plásticos consagrados, cujos trabalhos eram transpostos, foi uma estratégia correcta. Paixão da vida de um Homem, Guy Fino, cujo nome deu para um Museu onde fica para a posteridade a Memória desta arte portalegrense, não conseguiu sobreviver-lhe por muitos anos.
A sustentabilidade económica desta empresa de tipo familiar e artesanal estribava-se na existência de uma empresa a montante, do mesmo grupo económico, que lhe fornecesse o fio para os trabalhos. Mas essa empresa abriu falência, pelo que era de esperar que dificuldades surgissem no horizonte para a
Manufactura de Tapeçarias de Portalegre. E assim veio a acontecer.
A par desta situação, o alto custo de uma tapeçaria esbarrou com uma crise económica mundial que retraiu a procura deste bem de luxo. A falta de encomendas, a par da não venda do stock existente, criou uma situação que vai levar ao encerramento da empresa.
Tudo o que os políticos, que não entendem de economia, fizerem para que não aconteça o fecho desta unidade fabril, é apenas adiar o inadiável. Com o maior dos pesares, se afirma que tudo o mais é demagogia.

in, Rádio Portalegre, Desabafos, 18/04/2008
Mário Casa Nova Martins

Free web page counter