\ A VOZ PORTALEGRENSE: Desabafos

sexta-feira, novembro 30, 2007

Desabafos

O Instituto Politécnico de Portalegre criou uma colecção a que deu o nome de «Largo da Sé». Nela estão publicados à data seis trabalhos de reconhecido mérito académico e memorialista. Na ainda curta lista destacam-se já nomes como os de Francisco Fortunato Queirós, Mário Silva Freire e agora António Martinó de Azevedo Coutinho.
De facto, «Crónicas Lagóias» de António Martinó é o último volume editado por esta Instituição, no fundo a única editora do concelho de Portalegre. Em cerca de quinhentas páginas está lá um testemunho do pensar, agir e sentir do Autor.
António Martinó não é Alguém difícil de definir. Homem atento ao mundo que o rodeia, desde a juventude que desenvolve uma actividade cívica de relevo. No Estado Novo colabora com o Regime, e ao mesmo tempo sente a necessidade de conhecer o outro lado, como é exemplo a sua participação no grupo Amicitia. Aderente da primeira hora à Revolução dos Cravos, tem papel destacado no 28 de Setembro de 1974 em defesa de Abril, e chega a disputar eleições Autárquicas, liderando uma lista à Câmara Municipal de Portalegre pelo extinto PRD.
De uma grande curiosidade pelos avanços do audiovisual e multimédia, é em paralelo um apaixonado pela Banda Desenhada, arte que pratica. Polemista temido, tem na escrita uma forma de opinar. Certo dia foi comparado por um escriba a uma personagem jocosa de telenovela brasileira. Ignorou a miséria humana, continuando a trabalhar em prol da comunidade, promovendo iniciativas de grande mérito e de projecção além-fronteiras.
Agora, António Martinó legou aos vindouros, em forma de livro e depois de ter no seu currículo editorial dois trabalhos biográficos, como que a sua auto-biografia. Um exemplo a seguir!
in, Rádio Portalegre, Desabafos, 30/11/2007
Mário Casa Nova Martins

Free web page counter