\ A VOZ PORTALEGRENSE: Poesia

sexta-feira, setembro 07, 2007

Poesia

A uma cerejeira em flor

“Acordar, ser na manhã de Abril
A brancura desta cerejeira;
Arder das folhas à raiz,
Dar versos ou florir desta maneira.

Abrir os braços, acolher nos ramos,
O vento, a luz ou o que quer que seja;
Sentir o tempo, fibra a fibra,
A tecer o coração duma cereja”


Eugénio de Andrade
in “As Mãos e os Frutos”

Free web page counter