\ A VOZ PORTALEGRENSE: Memórias

domingo, junho 07, 2009

Memórias


O texto que publicamos no postal anterior viu a luz do dia no semanário «O Distrito de Portalegre» a 6 de Junho de 2003, página 7. Agora apenas fizemos ligeira actualização.
O que relatámos é um Mundo que já não existe. A própria Cidade já não existe. Passados estes anos, e principalmente no último lustro, a Cidade viu acabar a sua indústria centenária, os lanifícios, vê fábricas a fechar, o comércio em crise, a população envelhecida, sem indústria, sem agricultura, sem turismo de qualidade, sem futuro. Cidade sem elites, está num processo de falência administrativa, cultural e fundamentalmente cívica.
Dos lugares de que falamos, hoje existe um descaracterizado David, e o Capote, mas já sem a frescura daquele tempo. O Café Alentejano, lindíssimo, vive uma agonia lenta, o Café Central está irreconhecível, enquanto o Café Tarro continua sem conseguir recuperar o brilho de outrora.
De facto, a Feira das Cerejas de 1974 já foi diferente, a ponto de dela não guardarmos nada de significativo. A porca da política tudo dominava, a começar pelo fim de longas amizades e começo de outras.
Mário

Free web page counter