\ A VOZ PORTALEGRENSE: António Nobre

segunda-feira, maio 28, 2007

António Nobre

Torre de Anto, onde o Poeta viveu
.
Manuel, tens razão. Venho tarde. Desculpa.
Mas não foi Anto, não fui eu quem teve a culpa,
Foi Coimbra. Foi esta paisagem triste, triste,
A cuja influência a minha alma não resiste. (...)
Vá! Dize aos choupos do Mondego que se calem
E pede ao vento que não uive e gema tanto: (...)
Histeriza-me o vento, absorve-me a alma toda,
O Vento afoga o meu espírito num mar
Verde, azul, branco, negro, cujos vagalhões
São todos feitos de luar, recordações.
«Carta a Manuel»
António Nobre
(Porto, 1867- Figueira da Foz, 1900)

Free web page counter